CBF detalha como funcionará a nova seletiva na Série D do Brasileirão

Os oito times das federações com pior posicionamento no ranking da CBF disputarão quatro vagas para a fase de grupos da Série D

Gustavo Militão
Jornalista de Recife-PE, apaixonado por esportes.

Crédito: Reprodução/CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), por meio de ofício enviado as federações estaduais na última quinta (10), detalhou todas as mudanças na Série D para 2020. A quarta divisão nacional passará por mudanças visando aumento de sua duração. Além da mudança de datas previstas de 16 para 26, haverá uma criação de uma seletiva que dará quatro vagas para a fase de grupos da competição.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

A nova seletiva terá confrontos eliminatórios, envolvendo os segundos representantes das oito entidades estaduais com o pior posicionamento no Ranking Nacional das Federações. Com jogos em ida e volta, serão classificadas quatro equipes que avançam a fase de grupos.

No momento, as oito federações que teriam times na seletiva são: Roraima, Amapá, Rondônia, Espírito Santo, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Amazonas e Distrito Federal. Os segundos representantes desses estados iriam para a seletiva da Série D. O primeiro representante vai direto para a fase de grupos. Todavia, o ranking será atualizado ao fim da temporada pela entidade.

A seletiva, porém, será introduzida na Série D por apenas duas temporadas. Afinal a ideia é que em 2022 as oito piores federações no ranking só tenham uma vaga garantida na competição. Portanto, ela funcionará como uma transição para fixar o modelo em apenas 64 equipes.

Mudanças na Série D

Desde 2016 a Série D do Campeonato Brasileiro não passava por mudanças em seu regulamento. A nova fase de grupos da competição ao invés de 17 grupos com 68 equipes contará com 64 times divididos em oito chaves. Os grupos aumentam de quatro para oito times, que se enfrentarão em jogos de ida e volta. Os quatro melhores de cada um dos oito grupos, totalizando 32 times, avançam para o mata-mata até a definição do campeão. Os quatro melhores times avançam a Série C em 2021.

Com as mudanças, a Série D também ganha mais tempo no calendário. Ela começara em 03 de maio do ano que vem e está prevista para terminar no dia 22 de novembro. A ampliação das datas da Série D era uma queixa antiga dos clubes a CBF. Anteriormente, eles só tinham garantidas seis datas na competição e agora passam a ter 14 datas garantidas.

Em entrevista ao programa “Bom Dia Mirante”, da Rede Globo no Maranhão, o diretor de competições da CBF, Manoel Flores, falou sobre a ampliação das datas. “Os clubes que jogam reclamavam que em junho, julho estavam sem calendário. A grande maioria que ficava na primeira fase. Nosso desafio, e isso representa obviamente um custo muito alto, foi justamente dar uma primeira fase mais longa. Condizente até com as questões contratuais de cada clube. A gente precisa fazer na Série D o que estamos fazendo na C, consolidá-la”, explicou o dirigente.

LEIA MAIS:

Operário-PR: Danilo Báia acredita na recuperação rápida no Brasileirão Série B

Clássico entre Flamengo e Vasco no Sub-17 termina em pancadaria; veja