Ceará sofre com racismo e xenofobia em jogo contra o Santos: “Falaram que a gente joga no norte. Precisam estudar mais”

Thiago Galhardo e Fabinho se revoltaram com as falas ditas por alguns santistas na partida na Vila Belmiro pelo Campeonato Brasileiro

Rafael Brayan
Apaixonado pelo estudo do esporte mais praticado no mundo.

Crédito: Divulgação/Ceará

Após uma semana marcada por racismo na Europa, o Brasil viveu noite marcante na Vila Belmiro, na partida entre Ceará e Santos, pelo Campeonato Brasileiro. Durante a vitória dos mandantes, torcedores paulistas gritaram ditos racistas e xenófobos contra os jogadores visitantes.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

O presidente da arbitragem chegou a pedir calma para os torcedores do Santos, mas Thiago Galhardo revelou que ele e seu amigo Fabinho sofreram com gritos racistas e xenófobos na Vila Belmiro.

“Parabéns para o Santos pela vitória, mas quiseram menosprezar o Fabinho e eu. Foi chamado de ‘negrão’, ‘vagabundo’. Futebol perde a sua essência, não pode acontecer algo desse tipo. O cara bebe e fica embriagado, xingar a gente”, revelou o jogador do Ceará.

Para piorar, Thiago Galhardo afirmou que alguns torcedores gritaram que eles eram ruins e só tinha futebol para jogar no Norte do Brasil. Porém, o Ceará fica localizado no Nordeste do país. “Ele tinha que estudar mais. Conhecer um pouco mais do Brasil, de Geografia. Falaram que o Ceará joga no norte”, comentou.

Por fim, o meia do Ceará lamentou a derrota pelo Brasileirão. “Nosso time fez um bom jogo. Infelizmente tomamos um gol na pequena área, com três zagueiros no lance. Agora é lamentar. Acabei tomando o terceiro cartão amarelo. Espero voltar e poder ajudar o meu time”, disse Thiago Galhardo ao Esporte Interativo.

LEIA MAIS:

Saiba qual o próximo jogo do Ceará após a derrota para o Santos

Santos 2×1 Ceará: Assista aos melhores momentos do jogo do Brasileirão