Ícone do site Torcedores – Notícias Esportivas

Pela Copa dos Refugiados, Congo é campeão após vencer por 2 a 0 o país de Niger

(Foto: Daniel Borges)

Com o resultado, Congo vence a etapa de São Paulo da competição e vai disputar o título nacional com os vencedores de outras cidades no Rio de Janeiro.

República Democrática do Congo e Níger se enfrentaram em um início de tarde ensolarado, em busca do título da Copa dos Refugiados neste domingo, 20. O time nigerino lutava pelo bicampeonato, já que venceram a edição de 2018. Ao todo, mais de 200 jogadores passaram pelo torneio, que teve seleções da América do Sul e Central, África e Ásia.

Na partida, ambos os times apresentaram bom volume de jogo, embora pouca efetividade nas finalizações. Com maior presença de área, a equipe do Congo abriu o placar início do segundo tempo com gol do meio campista Cheta. O camisa 7 pegou um rebote na grande área e colocou para o fundo das redes. Nos acréscimos, o time congolês ampliou o placar  com Ikini, camisa 17.

A República Democrática do Congo conquista pela primeira vez da etapa São Paulo da Copa dos Refugiados e irá para o Rio de Janeiro, na segunda fase da competição, para enfrentar os demais vencedores das etapas das outras capitais

Para Ahmed, volante do Congo, o diferencial foi o comprometimento de toda a equipe com a busca do resultado: O time foi bem, nos preparamos o ano inteiro, sabíamos da qualidade de todos os times, sabíamos o que enfrentaríamos hoje. Mas vencemos, dois a zero pra nós. Agradeço a todos do meu time, se comportaram bem do inicio até o fim, Não perdermos nenhum jogo na competição e isso mostra que a união faz a força e a vitória é nossa.

Já o jogador da seleção do Níger, Felipe, sentiu tristeza pela perda do título. “Jogo sempre foi assim: se você não ganha você empata, ou perde. São as possibilidades. Os dois times vêm para ganhar, mas infelizmente só um vence. Estamos muito tristes, mas mesmo assim dar os parabéns para equipe que venceu.

Porém, um dos membros da organização do torneio, Venslan Aila, da ONG África do Coração, destaca que não um vencedor na competição. “Não é apenas um único campeão, todos que estamos aqui já somos vencedores de levar a causa para a sociedade brasileira. Queremos levar nossa cultura e nosso jeito. Para somar com o que já tem aqui no país, para integrar “.

Leia mais

Etapa São Paulo da Copa dos Refugiados tem início neste sábado (05)  

Leia mais:

Sair da versão mobile