Depois de 40 anos, mulheres assistirão jogo de futebol no Irã

Partida entre Irã e Camboja acontece no dia 10 de outubro, em Teerã. Comissão da Fifa estará presente no jogo e discutirá com autoridades sobre o livre acesso das mulheres a partidas de futebol

Jéssica De Paula Alves
Jornalista amapaense migrada em Belo Horizonte (MG). Nascida em março de 1990, é gremista e adora esportes desde a infância. Faixa branca em jiu-jitsu, também é fã de rock e ama unir suas paixões.

Crédito: Reprodução

No dia 10 de outubro, mulheres no Irã poderão assistir a uma partida de futebol, depois de 40 anos de proibição. Uma comissão da Fifa estará no jogo entre Irã e Camboja, em Teerã. A equipe vai fornecer apoio nas operações e discutirá om as autoridades iranianas o livre acesso das mulheres a partidas de futebol.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

A ação ocorrerá após a morte do jovem Sahar Jodayari, 29 anos, que se suicidou ao saber que ela poderia ser condenada a seis meses de prisão por tentar entrar em um estádio de futebol disfarçado de homem  para ver a partida entre Esteghlal e Emirati clube Al AinJodayarí,

Ela  passou dois dias na prisão de Gharchak por isso e foi libertada aguardando julgamento. Mas, quando soube que poderia enfrentar uma sentença de seis anos meses de prisão, ateou fogo no próprio corpo. Depois de sofrer queimaduras em 90% do corpo, a jovem morreu em um hospital em Teerã em 9 de setembro.

Símbolo

A morte de Sahar tornou-se um símbolo da luta pela igualdade, causando inúmeras reações, incluindo a da FIFA. O presidente, Gianni Infantino, anunciou em 22 de setembro que o Irã permitirá que as mulheres entrem no Estádio Azadi na quinta-feira. Elas assistirão a partida de qualificação para a Copa do Mundo de 2022.

Mas três dias após o jogo, o modo como o Irã vai abrir as portas já é criticado. Organizações como a Human Rights Watch (HRW) e os estádios abertos questionaram a limitação do número de ingressos para o público feminino. O número foi de 4.600 dos 78.000 locais do estádio. Além disso, eles estão localizados em um espaço apenas para mulheres. A agência iraniana IRNA anunciou a venda de 3.500 ingressos.

O Irã é o único país que mantém esse tipo de proibição para as mulheres no futebol. Contudo, na Arábia Saudita a proibição absoluta desapareceu no início de 2018. Mas ainda existem condições como estar acompanhado por homens e localizado apenas em áreas reservadas para famílias .

Nesse cenário, o Irã-Camboja já é mais do que uma partida de futebol. Se tornou um debate sobre se a abertura de portas de um campo de futebol para mulheres.

“Tratar desrespeitosamente os costumes culturais leva ao isolamento. As mulheres muçulmanas correm o risco de serem ignoradas por manterem sua moral, conforme estabelecido na religião sagrada do Islã”, disse Hafhemi.

LEIA MAIS

Julgada por entrar em estádio, torcedora iraniana morre após ter ateado fogo no próprio corpo