Discussão sobre fim das conferências na NBA volta a pauta; isso é mesmo necessário?

Após anúncio de “ranking de forças da NBA” de uma emissora norte-americana, a discussão sobre não haver mais conferências voltou a tona, mas com argumentos discutíveis

Luiz Mutschele
Colaborador do Torcedores

Crédito: site oficial nba

Com a proximidade do início da nova temporada da NBA, a emissora ESPN divulgou recentemente um “ranking de forças” com os 10 principais favoritos em 19-20 e as equipes são essas (em parênteses a conferência de cada uma):

  1. Los Angeles Clippers (oeste)
  2. Milwalkee Bucks (leste)
  3. Philadelphia 76ers (leste)
  4. Los Angeles Lakers (oeste)
  5. Houston Rockets (oeste)
  6. Denver Nuggets (oeste)
  7. Utah Jazz (oeste)
  8. Golden State Warriors (oeste)
  9. Boston Celtics (leste)
  10. Portland Trail Blazers (oeste)

A presença de sete times do oeste e apenas três do leste, trouxe de volta a questão sobre o final das conferências e que ao invés disso, houvesse uma classificação única, que pegasse do 1º ao 16º melhor e fizessem os confrontos na base do 1 x 16, 2 x 15, 3 x 14, etc. O argumento utilizado para justificar essa mudança é de que ela supostamente beneficiaria a liga, pois premiaria as melhores campanhas e evitaria injustiças.

Essa discussão ganhou força especialmente porque nas últimas temporadas, boa parte dos astros da NBA passaram a figurar em sua maioria nas equipes do oeste, inclusive Lebron, que havia jogado sempre na conferência leste e foi para Los Angeles, onde teria uma equipe de mais apelo midiático. Entretanto o tema vem em um momento, no mínimo inusitado se pensarmos que o campeão  é do leste (Toronto Raptors), assim como o atual MVP da liga Giannis Antetokounmpo, que joga no Bucks.

Porém a discussão vai muito mais além e envolve uma coisa que a organização da NBA sempre prezou muito: a competitividade. Modificar o atual modelo de classificação em um momento onde uma conferência vem tendo menos apelo para segurar jogadores, poderia no longo prazo prejudicar ainda mais o equilíbrio da liga, justamente em um momento que se discutem formas de manter franquias de locais menos badalados igualmente competitivas.

História mostra ciclos de domínio entre leste e oeste na NBA

Considerando apenas os números, títulos e campanhas ao final da temporada regular, temos resultados que mostram que o que ocorre atualmente, nada mais é que um ciclo e mesmo assim longe de ser este suposto desnível.

Olhando apenas esta década, temos:

  • em nove temporadas, um total de 5 títulos para o oeste e 4 para o leste
  • destes, apenas um do Oeste foi inédito (Mavericks), enquanto dois do leste venceram pela primeira vez (Cavaliers e Raptors), ou seja a renovação de forças no leste tem ocorrido com mais sucesso que no oeste.
  • se utilizássemos o modelo de classificação proposto, com os 16 melhores passando, ao longo dessa década teríamos: 4 vezes o oeste com 9 times e o leste com 7, uma vez o oeste com 10 e leste com 6, duas vezes empate 8 a 8 e duas vezes o leste com 9 e oeste com 7.
  • ironicamente, as duas vezes do leste foram em 15-16 e 16-17.
  • em 17-18 foi um empate e apenas na última temporada que o oeste teve de novo mais times com melhores campanhas entre os 16, com nove.

Se observarmos esta diferença desde a temporada 83-84 (quando passaram a se classificar 16 equipes) temos o seguinte resultado:

  • de 83-84 até 89-90 -> 2x leste, 3x empate, 2x oeste
  • de 90-91 até 99-00 -> 5x leste, 3x empate, 2x oeste
  • de 00-01 até 09-10 -> 2x empate e 8x leste
  • em todos os casos, apenas três vezes a diferença chegou a 10 x 6 em favor do oeste: 00-01, 03-04 e 07-08. Curiosamente nas duas últimas o campeão saiu do leste, respectivamente Detroit Pistons e Boston Celtics.
  • em todos os demais, tanto para leste, como para oeste, a diferença de clubes sempre fica em 9 a 7 para um ou para outro.

Analisando títulos, veremos outros fatos interessantes

  • nas últimas 4 décadas, tivemos em duas o domínio do leste: década de 80 e 90, ambas com 6 a 4 em favor deles.
  • na década passada, quando tínhamos os poderosos San Antonio Spurs de Duncam e Lakers de Bryant, a vantagem foi de 7 a 3 para o oeste.
  • na atual ainda existe a possibilidade de terminar empatado em 5 a 5.
  • na história da NBA, o leste possui o maior número de títulos: 39 contra 34 do oeste.

Fica claro ao observar as estatísticas da liga, que atualmente vivemos um ciclo com leve superioridade do oeste e que nem é assim tão grande nesta década. A postura da NBA de sequer levar em conta essa possibilidade é um acerto no caminho de evitar que possa haver um desnivelamento entre conferências, mantendo assim a alta competitividade e a atratividade dos times dos dois lados do país.

Leia mais:

Erik Spoelstra renova com equipe do Miami Heat até 2024

Scola fica entre Real Madrid e Boca Juniors após grande Mundial de Basquete