Ex-Grêmio, Roger Machado recusa Inter e opta por seguir o trabalho no Bahia

Direção do Inter intensificou os contatos para buscar um substituto para o técnico Odair Hellmann, demitido nesta quinta-feira

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: Roger Machado - Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

Horas depois de demitir Odair Hellmann, o Inter estabeleceu Roger Machado como o seu “Plano A” para o comando do futebol. E, de acordo com a ESPN, fez a oferta para atingir o objetivo. No entanto, o atual técnico do Bahia disse “não” e optou por seguir o trabalho em Salvador.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

Ex-jogador e treinador do Grêmio – último comandante antes de Renato Portaluppi assumir – Roger tem contrato até o final de 2020 com o Bahia, que está em 8° no Brasileirão lutando por vaga na Libertadores. Segundo o repórter Marcelo Salzano, da Rádio Bandeirantes, o Inter ofereceu salário de R$ 320 mil e vínculo até dezembro do ano que vem.

Como filosofia de carreira, Roger mantém a “prática” de trabalha em apenas um clube por ano, mesmo que seja demitido durante o trabalho, como ocorreu no Atlético-MG em 2017 e no Palmeiras em 2018. Como jogador, obteve a consagração empilhando títulos com o Grêmio na década de 90.

Um outro nome que é bem avaliado no Beira-Rio é o de Tiago Nunes, do Athletico, que se posicionou sobre a situação nesta quinta. Mas o caso é semelhante ao de Roger por conta do trabalho em vigor no mínimo até dezembro no Paraná.

LEIA MAIS:

Melo, novo técnico, jogadores… cinco perguntas para entender a fase do Inter

Medeiros defende Roberto Melo e diz que não sabe se novo técnico será “tampão” ou terá longo prazo

Inter não atende desejo dos jogadores e demite Odair Hellmann

Edenilson fala em “apagão” e Parede desabafa após nova derrota do Inter

Siga o autor:

No YouTube

No Instagram