Maurício Capela analisa ataque do Flamengo: gols acontecem na grande área

Dos 51 gols marcados até aqui, mais de 90% deles acontecem quando seus atacantes estão posicionados próximos ao goleiro adversário

Maurício Capela
Jornalista há 25 anos, Maurício Capela é comentarista esportivo há mais de uma década e hoje está na Super Rádio. Foi escolhido pela Associação do Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (Aceesp) como um dos três melhores na função em televisão, em 2016, quando atuava pela RedeTV!. Com passagens pelas rádios 105 FM, Tri FM de Santos (SP), Tropical FM, entre outras, o profissional tem larga experiência também no jornalismo impresso e digital. Além de ter mantido blog sobre esportes no Estadão, militou em Veja, Valor, Gazeta Mercantil e outros.

Crédito: Crédito: Foto: Bruna Prado/Freelancer/Getty Images - Flamengo comemora mais um gol no Brasileiro de 2019.

A campanha do Flamengo no Campeonato Brasileiro dispensa maiores comentários. Líder da competição, com 55 pontos, oito mais que o segundo colocado, e dono do melhor ataque, o clube comandado pelo técnico português Jorge Jesus parece definitivamente ter colocado a mão na taça deste ano.

Mas um dos pontos que mais chamam a atenção neste Brasileirão é o desempenho do ataque do time, sem dúvida. Além de já ter anotado 51 gols em 24 rodadas no certame, o clube ainda tem o artilheiro, Gabriel Barbosa, com 18 gols.

Estratégia de Ataque

Só que o Flamengo não vive apenas de Gabriel Barbosa. Ao lado de Gabigol, como todos o conhecem, a linha de frente do atual líder do campeonato ainda tem Bruno Henrique, Arrascaeta e Everton Ribeiro, além dos meias que chegam com bastante tranquilidade em direção ao ataque.

Com a ajuda do Footstats, portanto, se observa logo de cara que, de fato, o negócio do Flamengo é jogar perto da meta adversária. Dos 51 gols marcados no Brasileiro, pouco mais de 92% deles é feito dentro da grande área. Somente 4 foram anotados fora do perímetro mais próximo do goleiro.

Trocando em miúdos, é preciso ter muito controle do jogo, aproximação, triangulação e rapidez no último passe, E isso o Flamengo tem de sobra. Tanto que é o líder em Assistências, faz quase duas por jogo.

Peso do Ataque

Contudo, não é só o fato de Gabigol jogar próximo à meta adversária, que transforma esse poder de fogo do Flamengo em realidade. Há mais. Dos três atletas que mais fizeram gols no Brasileiro até aqui – Gabriel Barbosa, Gilberto e Arrascaeta -, o índice de acerto dos dois atletas do Flamengo na grande área supera os 90%. Gilberto, atacante do Bahia, também tem indicador nessa linha, maior que os 90%.

Mas… Fora da Área? Bem, fora da área, Gabigol não vai tão bem assim. Fez apenas 5,6% dos gols longe do perímetro mais próximo do goleiro. E Arrascaeta, 10%.

Ou seja, com esse volume de ataque e jogando num formato de pressão em direção ao adversário, além da já atual vantagem na pontuação, provavelmente o Flamengo já pode encomendar a faixa, porque se depender do poder de fogo, o clube já faturou mais um título de campeão brasileiro.

LEIA MAIS

Allan Abi Madi: O planejamento do Flamengo para 2020 já começou

Maurício Capela analisa Flamengo sem Arrascaeta