Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Órgão que regula as leis do futebol estuda alterar regras para evitar concussões em jogadores

Reunião discutiu desde atendimentos à substituição e até sobre o uso correto do VAR

Wesley Alencar
Jornalista."Foi difícil chegar onde cheguei, mas ainda não cheguei a lugar nenhum" - Lucas Silva, Flamengo

Crédito: Rubens Chiri / saopaulofc.net

Numa reunião na última quarta-feira na Suíça, a IFAB, órgão que regula as leis do futebol, entrou num assunto delicado e que gera bastante debate: as concussões, choques de cabeça entre atletas. Um grupo foi criado para investigar e analisar se são necessárias modificações nas regras do jogo para esses casos e soluções já podem ser apontadas no início do ano que vem.

“Possíveis opções para avaliação e cuidados com casos de concussão durante uma partida foram discutidas. Foi acordado que qualquer solução terá de levar em consideração o bem-estar dos atletas e a necessidade de garantir a igualdade esportiva”, comunicou a IFAB.

Salientando a natureza complexa de avaliar e diagnosticar concussões em diferentes situações de jogo, a IFAB informou também que o grupo de especialistas se concentrará neste tópico durante os próximos meses e novidades podem aparecer já na próxima primavera europeia.

“Como ex-jogador e agora médico, trabalho para melhorar a saúde e a segurança dos atletas. Fico contente em saber que a IFAB notou que é importante se considerar novas regras para casos de concussão”, disse o médico-chefe do FIFPro, Vincent Gouttebarge, à Inside World Football.

Hoje, em casos de choques de cabeça, o árbitro paralisa a partida para que os jogadores sejam atendidos o mais rápido possível para evitar agravamentos, porém, o breve atendimento é apontado como falho para se saber a real dimensão da gravidade do choque e se há lesão.

Uma das reivindicações seria um tempo maior para se fazer um diagnóstico e, enquanto isso, um substituto poderia ir a campo por 10 minutos, mas essa ideia enfrenta muita resistência, pois seria fácil de burlar e sobre o que seria feito em caso do atleta substituto ser expulso dentro do período de alteração.

A preocupação com concussões no futebol aumentou após novas pesquisas apontarem que ex-jogadores sofreram uma série de doenças neurológicas desproporcionais à população comum.

Na sessão dessa quarta-feira, também foi discutido o sistema do VAR, que não estaria sendo usado apenas para os “erros claros e manifestos” dos árbitros de campo, gerando controvérsias com as regras. A IFAB informou que as ideias apresentadas na reunião de Zurique serão divulgadas com maiores detalhes na reunião de negócios em Belfast, em dezembro, e quaisquer alterações a serem realizadas serão aprovadas no Conselho Geral da IFAB no ano que vem.

LEIA MAIS: