Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Efeito José Aldo: Por que o Internacional não aproveita os jogadores formados na base?

Meio-campista é um dos vários garotos que esperam por uma chance no elenco principal do Internacional

Matheus Expedito
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero. 22 anos. Amante do esporte bem jogado e admirador de boas histórias.

Crédito: Site Oficial / Mariana Capra

Destaque no time sub-23 do Internacional, o meia José Aldo almeja uma chance no elenco principal, que agora terá Zé Ricardo no comando até o final da temporada. Embora esteja sendo constantemente elogiado pela torcida, o jovem pouco jogou nesta temporada, tendo apenas oito minutos jogados em todo o Brasileirão.

A falta de oportunidade pode abrir outras portas ao atleta que pertence ao Guarani de Palhoça. De acordo com a imprensa gaúcha, o meia despertou o interesse do Santos e Bahia e de outros clubes de Portugal. O Inter tem a preferência pela compra de 50% dos direitos econômicos, no valor de R$ 1,2 milhões.

Recentemente o colorado conquistou o bicampeonato do Brasileirão sub-23, ao derrotar o Grêmio na grande decisão. O fato impulsionou os pedidos de aproveitamento desses meninos entre os mais experientes e, segundo os torcedores, muitos deles poderiam ser titulares.

Novo Ricardo Goulart ou Lucas Lima?

Não é novidade que a base do colorado sempre rendeu bons valores ao futebol internacional, sendo que muitos brilham, mesmo que por pouco tempo, no Beira-Rio – ex: Alisson, Nilmar, Fred, Taison, Alexandre Pato, William, Iago, entre outros. No entanto, muitos outros percorrem caminhos diferentes e viram destaques em outras equipes do futebol brasileiro.

Ricardo Goulart e Lucas Lima se tornaram referências de Cruzeiro e Santos, respectivamente, por vários anos. Assim como outros que aparecem sem tanto brilho mas com muita importância para seus respectivos clubes, como Otávio (Porto), Juan Jesus (Roma) e Marinho (Santos).

Carência no profissional

Outro ponto bastante questionado pela torcida colorada é a falta de opções criativas no elenco principal. Atualmente todas as fichas ainda são depositadas em Andrés D’Alessandro, que aos 38 anos de idade, não tem o mesmo ritmo que em antigos carnavais.

Curiosamente outra joia da base é o suplente imediato do ídolo colorado: o também argentino Sarrafiore. Esse também teve boas atuações no início da temporada, mas foi fortemente criticado após a eliminação da Copa Libertadores para o Flamengo – foi ele que perdeu a bola no meio de campo e resultou no gol do rubro-negro em Porto Alegre.

Jogadores emprestados

Anualmente diversos jovens são emprestados para ganhar experiência entre os mais velhos. A pratica não foi diferente nesta temporada e outras pratas da casa estão em clubes espalhados pelo Brasil e Europa. Chamam atenção os bons desempenhos de Juan Alano e Ramon, por Coritiba e Vila Nova, respectivamente. Ambos disputam a Série B do Brasileirão e são titulares absolutos em suas equipes.

Outro jovem que teve uma temporada interessante foi o centroavante Álvaro, campeão da Série C pelo Náutico. O atleta até marcou um dos gols da decisão contra o Sampaio Corrêa. O volante Charles, que foi titular em boa parte do ano passado pelo Internacional, também faz boas apresentações pelo Sport e pode ser opção para o ano que vem.

Álvaro – Náutico – Atacante – 12 jogos / 6 gols

Charles – Sport – Volante – 40 jogos / 3 gols

Ramon – Vila Nova – Volante – 33 jogos/ 1 gol

Juan Alano – Coritiba – Meia – 36 jogos / 5 gols

Gustavo Ferrareis – Avaí – Meia – 7 jogos /0 gol

Richard – Tondela-POR – Meia – 7 jogos / 2 gols

Mossoró – ABC – Meia – 12 jogos / 0 gol

Valdivia – Vasco – Meia – 11 jogos / 0 gol

Andrigo – Figueirense – Meia – 13 jogos / 2 gols

André – Leixões-POR – Atacante – 16 jogos / 5 gols

Brenner – Vejle BK-DIN – Atacante – 2 jogos / 0 gol

Bruno José – Botafogo-SP – Atacante – 18 jogos / 1 gol

*Foram considerados apenas os atletas com passagem pelas categorias de base do Internacional

Outros campeões no sub-23 pedem passagem

Não é apenas em José Aldo que o torcedor do Internacional sonha para o elenco profissional. Dos atuais campeões sub-23, alguns já tiveram a oportunidade de estrear no principal, como Zé Gabriel, Pedro Lucas, Roberto, Bruno Fuchs e Heitor. Todos estão à espera de uma chance com o técnico Zé Ricardo, que deve promover algumas mudanças nas próximas partidas.

Dos atletas considerados titulares, apenas o volante Nonato tem passagem pela base colorada – sem mencionar Rodrigo Dourado, que está no profissional há anos. A exemplo do grande rival Grêmio, a torcida do inter espera mais atletas sendo titulares nos próximos anos.

Veja os números das pratas da casa pelo profissional em 2019:

Daniel – Goleiro – 3 partidas / 1 gol sofrido

Heitor – Lateral –  10 partidas / 0 gol

Erik – Lateral – 2 partidas / 0 gol

Bruno Fuchs – Zagueiro – 7 partidas / 0 gol

Roberto – Zagueiro – 11 partidas / 0 gol

Nonato – Volante – 41 partidas / 3 gols

José Gabriel – Volante – 2 partidas / 0 gol

Martín Sarrafiore – Meia – 32 partidas /6 gols

Johnny – Meia – 1 partida / 0 gol

José Aldo – Meia – 1 partida / 0 gol

Pedro Lucas – Atacante – 13 partidas / 1 gol

*Não foram mencionados os atletas que não estrearam ou que já foram negociados no decorrer da temporada

LEIA MAIS: