Julio Cesar dá detalhes sobre o ‘exigente’ Jorge Jesus, revela cobrança curiosa e afirma: “Respira futebol 24 horas”

Após se aposentar dos gramados em 2018, Julio Cesar dá seus primeiros passos como empresário dentro do futebol

Paulo Silva
Colaborador do Torcedores

Crédito: Crédito: Staff Images/Flamengo

Ídolo do Flamengo, Julio Cesar pendurou as chuteiras em 2018. Agora, o ex-goleiro começa a dar os primeiros passos para se tornar um empresário no meio do futebol. Para isso, ele participou do curso “Intermediação no futebol” da CBF, que contou também com a presença de pai de Neymar.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Com 40 anos, o ex-jogador da Inter de Milão se inspira no iraniano Kia Joorabchian, que ganhou repercussão por parceria com o Corinthians na década passada, e no português Jorge Mendes, que gerencia a carreira de Cristiano Ronaldo, para essa nova fase em sua vida.

Ele concedeu entrevista para o site Globoesporte.com e, entre assuntos ligados à sua nova carreira, falou também sobre Jorge Jesus, atual treinador do Flamengo que foi seu comandante em tempos de Benfica.

Julio Cesar revelou detalhes de como é o português no dia a dia, com seu jeito intenso e exigente de ser. Além do mais, o ex-goleiro que disputou três Copas do Mundo contou sobre um episódio de cobrança curiosa. Veja partes da entrevista:

Jorge Jesus x treinadores brasileiros 

“Não gosto de comparar. Cada um tem o seu estilo, suas ideias. Ele é muito exigente, cobra bastante, respira futebol 24 horas”.

Cobrança curiosa de Jorge Jesus

“Durante um treino no começo do nosso trabalho, ele falou que tinha que fazer mais musculação porque a bola estava batendo na minha mão e entrando. Esse é o grau de exigência dele”.

Disciplina dos jogadores do Flamengo

“Ele diz que todos chegam cedo, se comprometem com a academia. Eles não pagam multa. O Jesus diz que o grupo é muito disciplinado”.

Broncas de Jorge Jesus e gestão de grupo 

“Isso é normal. Aquela situação para melhorar. Os jogadores absorveram isso. Essa é a filosofia dele de gerir um grupo. Vejo hoje muitas vozes dizendo que com o time que ele tem na mão é mais fácil. Não basta ter o melhor grupo. Tem que saber gerir. Isso faz a diferença. às vezes, você tem o melhor no papel, mas as coisas não dão certo porque o comandante não sabe pilotar. Ele está tendo sucesso também pela qualidade dos jogadores. Mas o fator primordial é você saber levar o grupo, fazer com que todos pensem na mesma maneira e sigam na mesma direção. O diferencial dele é esse”.

Chateação com broncas 

“Você fica p… da vida. Você chega com o status de campeão de tudo, você raciocina desta maneira. Quando você vê um treinador te cobrando, se levar para um lado de litígio, querer discutir, querer ser maior que o técnico, não vai ter jeito. Eu optei ir para a academia. Quando você entende esse processo, essa cobrança, dificilmente você não vai obter sucesso. Aquela foi a minha melhor temporada no Benfica”.

LEIA MAIS:

Treinos “no limite”, celular proibido no almoço: ex-jogador de Jorge Jesus revela detalhes do trabalho do português: “Vive futebol 24 horas”