Kyra Gracie comenta machismo no Jiu-Jitsu e fala de relação com Malvino Salvador

A lutadora é referência no esporte mundial e carrega o maior sobrenome no mundo da luta

Vitor Cavalcanti
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Instagram

Kyra Gracieconcedeu uma entrevista exclusiva a revista Vogue e falou sobre a expectativa para o casamento e o machismo no esporte. A lutadora é uma das principais referências na história do Jiu-Jitsu feminino mundia.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

Detentora do maior sobre nome do esporte, Kyra revelou que sua família no início foi reticente quanto a sua entrada no Jiu-Jitsu.

“As mulheres da minha família nunca foram incentivadas no Jiu-Jitsu. Tive que lutar para poder lutar, pois diversas vezes me falaram que não era esporte para mulher’, contou.

“Depois de alguns títulos eles começaram a me olhar de outra maneira e incentivaram o meu crescimento, mas até hoje as premiações são diferentes e as federações e revistas especializadas não dão o mesmo valor para a categoria feminina”, continua, se referindo ao machismo no esporte. As conquistas da atleta, porém, não se resumem a medalhas, lutar pela igualdade no meio faz parte de seus objetivos: “Estou na missão de mudar essa mentalidade”, afirmou.

A atleta também comentou sobre o machismo que está enraizado dentro das academias.

“Sim! Existe um conceito muito machista. A maioria das academias são clubes do bolinha, a federação internacional dá prêmios bem maiores para o masculino e a categoria feminina é sempre deixada em segundo plano”, disse.

A lutadora é noiva do ator Malvino Salvador e se casam ainda neste mês de outubro. Kyra revelou o “segredo” de sua relação.

“Respeito e admiração. Tenho muita admiração pelo Malvino, pelo trabalho e pela maneira que ele cuida da nossa família. Isso faz com que sejamos grandes amigos, além de namorados. Existe muito diálogo e não dormimos brigados.”, contou