Matheus Henrique diz que semifinal da Libertadores não abala amizade com Gabigol: “Rivalidade só dentro de campo”

Adversários no jogo que vale vaga para a final do torneio continental, Matheus Henrique e Gabigol serão companheiros de Seleção por dois jogos

Bruno Romão
22 anos, estudante de Jornalismo, amante da escrita, natural de Campina Grande (PB) e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Reprodução

Se no primeiro jogo a dupla esteve em lados opostos, o objetivo é agora é garantir que a seleção brasileira saia de campo com a vitória. Dessa forma, os dois jogadores, que são amigos, possuem o interesse também de agradar Tite e continuarem a serem chamados nas listas posteriores.

Em coletiva de imprensa, o volante do Grêmio reiterou que a amizade com Gabigol segue a mesma. Isso porque ambos já se conhecem de longa data, e não possuem nenhum atrito pessoal. Dessa forma, a disputa fica apenas dentro das quatro linhas.

Futebol de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!!

”Creio que a rivalidade e a vontade de vencer fica só dentro de campo. Eu já tenho amizade com o Gabigol antes mesmo dele ir pro Flamengo. Aqui vamos ser companheiros e depois vamos nos tornar adversários. Mas é uma coisa que fica só dentro de campo, cada um defendendo seu lado e no final do jogo a gente tá se falando normal”, declarou.

Após os jogos com Senegal e Nigéria, Matheus Henrique e Gabigol voltam a defender seus clubes. No próximo dia 23 de outubro, cada um irá se esforçar ao máximo dentro de campo para defender a camisa que vestem. No Maracanã, Grêmio ou Flamengo sairão classificados, e apenas um dos amigos vai sorrir com o apito final do árbitro.

LEIA MAIS