Monaco: Do sucesso à luta contra o rebaixamento na Ligue 1

Depois de anos de boas atuações, com direito a título da Ligue 1 e semifinal da Champions League na temporada 2016-17, o Monaco vem sofrendo com a falta de resultados em campo

Flavio Souza
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação / Twitter oficial Cesc Fabregas

Depois do empresário russo Dmitry Rybolovlev assumiu maior parte do Monaco, o clube apresentou resultados em campo, mas vem passando por duas temporadas complicadas, conforme detalhado pelo site “BBC Sport”, em matéria reproduzida pelo site da “ESPN Brasil“.

Futebol de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

Com o investimento russo, o clube foi o único a interromper o domínio do PSG na Ligue 1. O time venceu seis das últimas sete edições, com o domínio do Paris interrompido apenas na edição 2016-17, vencida pelo Monaco. Na mesma temporada, o clube chegou até as semifinais da Champions League, quando foi eliminado para a Juventus.

Má fase do Monaco

Na temporada 20″18-19 o clube terminou o campeonato na 17º posição, apenas dois pontos na frente do Dijon, primeiro dos times rebaixados da última temporada. Vale lembrar que o ex-jogador Thierry Henry foi o técnico do time por apenas 104 dias durante a má campanha. Já na atual temporada, o Monaco está fora da zona de rebaixamento apenas pelos critérios de desempate. São duas vitórias, três empates e quatro derrotas, com um saldo negativo de -4 gols.

Altos valores no mercado

O Monaco opta por comprar jovens jogadores e conseguir ótimos valores de venda. Mas o clube também se destaca entre os que mais investe em contratações no mercado.

Na última década, o clube aparece como a equipe que mais lucrou com venda de jogadores, segundo o site “Transfermarkt”. O valor acumulado desde 2009-10 chega em 992 milhões de euros. Mas o investimento em compras também foi alto, o que surpreende ao analisar o desempenho recente do clube. No mesmo período, o clube gastou 828 milhões de euros, finalizando com um saldo positivo de 163 milhões de euros.

A terceira maior venda da história, inclusive, foi do Monaco. Kylian Mbappé deixou a equipe em 2017 por empréstimo para o PSG e no ano seguinte assinou com os franceses por 135 milhões de euros (R$ 608 milhões). A venda do francês só ficou atrás das compras de Neymar (Barcelona para o PSG) e Philippe Coutinho (Liverpool para o Barcelona).

Craques espalhados pela Europa

O time que chegou até as semifinais da Champions League contava com nomes que hoje se destacam no futebol europeu. Bernardo Silva, hoje no Manchester City, talvez seja o nome daquela equipe, ao lado de Mbappé. Além deles, o elenco contava com nomes como Tiemoué Bakayoko (Chelsea, mas emprestado nesta temporada ao Monaco), Fabinho (Liverpool), Falcao Garcia (Galatasaray) e Thomas Lemar (Atlético de Madrid).

James Rodriguez (Real Madrid) e Anthony Martial (Manchester United) foram outros nomes que se destacaram no clube francês. Hoje, o grande nome do time é o veterano Cesc Fábregas.

LEIA MAIS

COM NEYMAR, PSG TRAÇA META DE CONQUISTAR CHAMPIONS LEAGUE E LIGUE 1 NESTA TEMPORADA