Mundial de surfe: brasileiro fica com o vice na etapa de Hossegor

Ítalo Ferreira, de 25 anos, foi derrotado na final, mas acirra ainda mais a disputa, com os outros brasileiros, por vagas na Olimpíada de Tóquio, em 2020.

Carlos Henrique Correia
Colaborador do Torcedores

Crédito: Fotos Públicas/WSL / KELLY CESTARI

A etapa francesa do Mundial de Surfe, realizada em Hossegor, foi vencida hoje (11) pelo dono da casa, Jeremy Flores. Com a praia lotada o surfista fez história, pois essa foi a primeira vez que um francês venceu na sua terra natal. Ítalo Ferreira chegou até a final, mas não conseguiu ser o campeão.

Apesar de não ter ficado com o título, o brasileiro subiu da quinta para a quarta colocação no ranking, com 42.400 pontos. O bicampeão mundial, Gabriel Medina, continua como o primeiro colocado, com 48.015 pontos, seguido pelo compatriota, Filipe Toledo, com 45.730 pontos. O sul-africano Jordy Smith fecha a lista dos três principais surfistas do mundo na atualidade, com 43.515 pontos.

Além do título mundial deste ano, os três brasileiros disputam, entre si, quem irá representar o país na Olimpíada de Tóquio, 2020. Os dez primeiros colocados no ranking mundial garantem o carimbo no passaporte para o Japão no ano que vem, mas cada país tem direito a apenas duas vagas.

A próxima etapa do campeonato será em Peniche, Portugal, e será realizada entre os dias 16 e 28 de outubro. O Havaí, mais precisamente em Pipeline será responsável por fechar o ano, a bateria acontece entre 8 e 20 de dezembro.

Final feminina

Pelo mundial feminino, quem ficou com o título foi a Carissa Moore, do Havaí, que somou 17.60 pontos e venceu, sem dar chances, a Caroline Marks que conseguiu apenas 7.0 pontos.

LEIA MAIS

Brasileiros brilham em Ilhabela (SP) e lideram Mundial de Snipe