Nadador Conor Dwyer anuncia aposentadoria depois de punição

Bicampeão olímpico, o norte-americano Conor Dwyer anunciou aposentadoria logo depois de ser banido do esporte por 20 meses por uso de doping

Aécio de Paula
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação/ Instagram - Conor Dwyer

É o fim de uma era! Um dos nadadores olímpicos mais respeitados do mundo, o norte-americano Conor Dwyer anunciou nesta sexta-feira (11) a sua aposentadoria. Mas este não é daqueles finais em que o atleta sai ovacionado pelo seu público. Pelo contrário. A conclusão da carreira do bicampeão olímpico foi bem mais melancólico do que se podia imaginar.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

É que o anúncio da aposentadoria veio logo depois que o atleta ficou sabendo que foi punido. O motivo: injetou doses de testosterona em seu quadril. Como se sabe, testosterona é considerada doping. A punição foi rígida: seriam 20 meses sem poder competir. 

Dwyer, que tem 30 anos, testou positivo três vezes no período que durou de 15 de novembro e 20 de dezembro de 2018. A punição contaria a partir do dia 21 de dezembro, a data da última amostra. Assim, considerando que a pena não seria amenizada, o norte-americano perderia os Jogos Olímpicos de Tóquio, de 2020, o grande objetivo de Dwyer. 

O que diz o atleta

O nadador olímpico disse em comunicado assinado por seu advogado que reconhece o erro. Ao mesmo tempo declara que não foi intencional. “Um erro honesto, mas infeliz”, foi a exata frase usada no comunicado.

O comunicado segue: “Independente do resultado final da decisão da arbitragem, decidi me aposentar da natação para buscar outros interesses profissionais”, termina a nota. Neste comunicado, Conor Dwyer não se aprofunda no mérito desses novos interesses profissionais.

O Rio como argumento

Em testemunho, um dos nutricionistas de Dwyer disse que o problema foram os Jogos do Rio de Janeiro. Segundo ele, o atleta teria treinado demais para a competição e teria voltado do Brasil com cansaço, nevoeiro cerebral, fadiga e insônia. “As preocupações com a saúde estavam causando um alto grau de estresse”. A testosterona teria sido utilizada para diminuir o estresse, e não para melhora de desempenho

Em parte, analistas dos Estados Unidos consideraram que esse argumento foi bem recebido pelos juízes do caso. Até por isso, a pena de 20 meses foi até menor do que se poderia apostar.

Uma grande carreira

Conor Dwyer se despede de maneira apática da natação olímpica. Mas sua carreira foi recheada de grandes momentos. O nadador conquistou dois ouros olímpicos para os Estados Unidos. Um em Londres, em 2012 e outro no Rio, em 2016. Ambos no Revezamento 4x200m livres.

Além disso, na mesma prova, o atleta conquistou dois ouros em campeonatos mundiais. Um em Xangai, em 2011 e outro em Barcelona, em 2013.

LEIA MAIS

Governo inglês lança iniciativa que estimula a prática da natação pelo país