Narrador gaúcho diz que Grêmio fez empréstimo bancário e alerta necessidade de vendas: “Acabou a grana”

Grêmiofez um empréstimo por falta de fluxo de caixa e tem necessidade de vender atletas, diz jornalista

Eduardo Caspary
Jornalista formado pela PUCRS em agosto de 2014. Dupla Gre-Nal.

Crédito: FOTO: LUCAS UEBEL/GREMIO FBPA

Em participação no programa Sala de Redação desta semana, do qual habitualmente é âncora, o narrador Pedro Ernesto Denardin informou que o Grêmioprecisou, recentemente, fazer um empréstimo bancário para quitar dívidas fora a folha de pagamento. Ele ressaltou a necessidade que o clube tem, nesse momento, de vender jogadores.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!

Durante agosto, o clube rejeitou duas propostas por Everton que não chegaram ao valor pedido, algo como 40 milhões de euros.

“O Grêmiojá fez um empréstimo bancário esses dias, porque terminou a grana. O Grêmioprecisa vender um jogador. Poderia ter negociado o Everton, mas pediu 40 milhões de euros e não levou. Acho que poderia ter negociado um pouco. Para pagar algumas contas, não a folha de pagamento, precisou fazer empréstimo. Nada demais. Isso faz parte. O Grêmionão tem receita sem venda de jogador para pagar as suas contas. Não há receita suficiente”, informou Pedro.

No entanto, demonstrativos contábeis e financeiros apresentaram números positivos do segundo trimestre de 2019 em reunião do Conselho em agosto. Nota no site gremista informou um superávit de 30 milhões de reais.

“Nos primeiros seis meses do corrente ano, o Clube registrou uma Receita Bruta de R$ 222,1 milhões, sendo R$ 77,6 milhões (53,7%) acima da previsão orçamentária e R$ 56,1 milhões (33,8%) superior ao mesmo período de 2018. Com isto, obteve um EBTIDA  (indicador financeiro que representa quanto a instituição gerou de recursos por meio de suas atividades operacionais, descontando impostos, amortização, depreciação e resultado financeiro) de R$ 72,6 milhões que corresponde a um incremento de R$ 40 milhões (122,9%) em relação ao orçamento e R$ 29,4 milhões (68%) no que diz respeito ao primeiro semestre de 2018. Assim, o Clube registrou um superávit de R$ 30,3 milhões, sendo, portanto, R$ 42 milhões acima do previsto no orçamento do primeiro semestre de 2019 e R$ 32,9 milhões em relação ao mesmo período do ano anterior. Houve ainda, a redução do passivo circulante do Clube em relação a dezembro de 2018, na ordem de R$ 19,3 milhões”, diz o Grêmio.

De acordo com o portal UOL Esporte, o empréstimo bancário de R$ 10 milhões “serviu para quitar dívidas operacionais diante da falta de fluxo de caixa. Nas palavras da diretoria gremista, o dinheiro não foi buscado por conta de gastos adicionais, mas por consequência da nova forma de pagamento dos direitos de transmissão na TV”.

A possibilidade de venda de jogadores foi adiada para janeiro, quando reabre a janela de transferências. O Grêmioainda poderá lucrar em 2019 com a sua campanha na Libertadores, da qual é semifinalista diante do Flamengo.

LEIA MAIS:

Melo, novo técnico, jogadores… cinco perguntas para entender a fase do Inter

Medeiros defende Roberto Melo e diz que não sabe se novo técnico será “tampão” ou terá longo prazo

Inter não atende desejo dos jogadores e demite Odair Hellmann

Edenilson fala em “apagão” e Parede desabafa após nova derrota do Inter

Siga o autor:

No YouTube

No Instagram