Papo Tático: Barroca, elenco ou diretoria? Qual é o grande problema do Botafogo?

Derrota para o Fortaleza na Arena Castelão foi a terceira seguida do Glorioso; pressão pela saída de Eduardo Barroca cresce nos bastidores e entre a torcida alvinegra

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Reprodução / Facebook / Botafogo de Futebol e Regatas

Quatro jogos sem vitórias e três derrotas seguidas no Brasileirão. A atuação do Botafogo diante de um Fortaleza bastante organizado e bem empolgado com o retorno de Rogério Ceni nesta segunda-feira (30) foi o retrato de um time apático, sonolento e sem ideias. Ao mesmo tempo, a pressão pela saída de Eduardo Barroca do comando da equipe cresce cada vez mais num dos momentos mais difíceis da história do clube da Estrela Solitária. Diante de todos os problemas, a tendência é que o treinador acabe pagando o pato pela sequência de resultados negativos. Mas será que isso basta?

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

É bom que se diga que Eduardo Barroca mandou a campo o que tinha de melhor no elenco do Botafogo. Os problemas já começam por aí. Sem Gilson, Joel Carli e Alex Santana (talvez o melhor jogador do Glorioso na temporada), o treinador alvinegro manteve Marcinho no meio-campo e escalou os garotos Lucas Barros e Fernando nas laterais. E foi pelos lados que o Fortaleza criou as suas melhores chances até se organizar em campo após um gol (bem) anulado de Diego Souza e uma boa oportunidade perdida por Cícero dentro da área. O 4-4-2 de Barroca cedia muito e agredia pouco. E quando recuperava a bola, os contra-ataques sofriam com a lentidão do sistema ofensivo.

Cícero jogou mais próximo de Diego Souza no 4-4-2 de Eduardo Barroca. No entanto, o Botafogo cedeu espaços demais e o Fortaleza aproveitou a fragilidade defensiva do seu adversário pelas laterais. Faltava compactação e intensidade nas transições do time de General Severiano. Foto: Reprodução / Premiere

O Fortaleza já havia colocado duas bolas na trave de Gatito Fernández antes de André Luís ter seu gol anulado por impedimento (bastante discutível) no início do segundo tempo. Tanto que a superioridade do time comandado por Rogério Ceni era gritante. Vale destacar as boas atuações de Edinho, Osvaldo e Jackson. Todos firmes e executando bem as suas funções dentro de campo. O “entrosamento” com o treinador do Leão do Pici também facilitou as coisas dentro da Arena Castelão. Os laterais Tinga e Carlinhos faziam as ultrapassagens, Wellington Paulista fazia bem o pivô e todo o meio-campo do Fortaleza aproveitava bem a lentidão do Botafogo.

Laterais presentes no apoio, meio-campo atento e fechando os espaços e todo o time executando bem os movimentos do 4-2-3-1 de Rogério Ceni. O Fortaleza fez uma partida correta e poderia ter até goleado o Botafogo se não fossem as chances desperdiçadas na frente de Gatito Fernández. Foto: Reprodução / Premiere

A atuação diante do Fortaleza foi uma das mais fracas do Botafogo sob o comando de Eduardo Barroca. Há quem defenda o “fato novo” no elenco, uma mudança no comando técnico para chacoalhar os jogadores e acalmar a torcida alvinegra. O grande problema do Glorioso, no entanto, é muito mais grave. Além da crise financeira, o planejamento para a temporada se mostrou equivocado desde o início do ano. Primeiro pela saída de jogadores importantes como Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes, Igor Rabello e do promissor Jonathan. Ao mesmo tempo, os mais experientes não rendem aquilo que podem render, fato que obriga Eduardo Barroca a usar a base. Pulam-se etapas e jovens valores acabam “queimados”.

Por mais que o torcedor esteja na bronca com Eduardo Barroca, é preciso aceitar e entender que o Botafogo fez campanha razoável para boa no primeiro turno do Brasileirão graças ao trabalho do treinador. A sua demissão até criaria um “fato novo” por algum tempo, mas os problemas apareceriam novamente na reta final da competição. E você, torcedor do Botafogo? Qual é o grande problema do clube? Quem é o grande culpado pela má fase no Brasileirão? Participe da nossa enquete clicando numa das opções abaixo.

LEIA MAIS:

Botafogo pretende iniciar conversas com a Globo devido a modelo de pagamento de cotas de televisão

‘Time sem vergonha’: sede do Botafogo amanhece com muros pichados