Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Por que a Copa do Mundo sub-17 será no Brasil?

A Copa do Mundo sub-17 seria disputada inicial no Peru, mas por desistência do país vizinho, a FIFA acabou recorrendo ao Brasil para sediar a importante competição

Eduardo Suguiyama
Eduardo Suguiyama é jornalista diplomado pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado).

Crédito: Reprodução

Neste sábado (26), a Copa do Mundo sub-17 se iniciará com a partida entre Brasil x Canadá, que será disputada às 17h (horário de Brasília), no estádio Bezerrão em Brasília e o Torcedores.com explica pra você o motivo do Mundial ser disputado em nosso país.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Depois de sediar a Copa do Mundo de 2014, o Brasil tem a responsabilidade de comandar mais um grande evento organizado pela FIFA, o Mundial sub-17, que contará com 24 países participantes.

De início, a competição seria disputada no Peru entre 5 e 27 de outubro, o que seria a segunda vez que o país receberia o torneio da categoria, porém, a Federação Peruana acabou desistindo da organização do evento no início do ano pelo fato de “não conseguir lograr a totalidade de requisitos” exigidos.

 

Assim, o conselho da FIFA anunciou em 15 de março de 2019 que o Brasil seria o país substituto, marcando a primeira vez que o país receberá uma edição da categoria. As datas mudaram para os dias 26 de outubro e 17 de novembro.

Em entrevista recente, o pentacampeão Kaká falou ao perfil da FIFA sobre a importância do Mundial na categoria.

Sedes

Diferentemente da Copa do Mundo de 2014, as sedes e os estádios do Mundial sub-17 serão completamente diferentes e sem grande glamour.

– Estádio Bezerrão, na cidade-satélite do Gama (DF). Será palco de abertura e final
– Estádio  Kleber Andrade, em Cariacica (ES)
– Estádio Olímpico, em Goiânia (GO).
– Estádio da Serrinha, em Goiânia (GO)

LEIA MAIS:
Veja quais times já têm vaga garantida no Mundial de Clubes da Fifa 2019

Espetáculo, impecável e histórico; veja como a imprensa analisou a goleada do Flamengo sobre o Grêmio na Libertadores