Presidente da FIFA chama árbitros de “heróis”, revela que desacreditava do VAR, mas afirma: “Fica mais lindo, mais justo”

Gianni Infantino valorizou os primeiros trabalhos com o VAR e ainda comentou casos de racismo recentes no futebol

Rafael Brayan
Apaixonado pelo estudo do esporte mais praticado no mundo.

Crédito: Divulgação/Facebook Oficial da FIFA

Durante o Festival de Esportes de Trento, o presidente da Fifa, Gianni Infantino, comemorou as primeiras experiências com o árbitro de vídeo no futebol, nesta quinta-feira (10). O mandatário ainda afirmou que a tecnologia ajuda os juízes dentro de campo.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

“O futebol graças ao Var é mais bonito, mais justo, mais limpo. Eu era cético, mas quando me tornei presidente da Fifa eu disse para mim mesmo: por que não tentar? E hoje podemos dizer que o VAR está em evolução. Devemos perceber que o trabalho do árbitro é muito difícil, esses são heróis e poder ajudá-los concretamente é uma coisa bonita”, comentou o presidente da FIFA.

Chefe de arbitragem da FIFA e ex-juiz, Pierluigi Colina também falou sobre o VAR. “Não se trata de reorganizar o jogo, é certo restringir as decisões do VAR às situações mais importantes. Até eu era cético, a tecnologia tinha tempos bíblicos (muito longos), agora em 30, 40 segundos você pode usar o VAR”, disse.

Gianni Infantino lamentou os casos de racismos recentes no futebol mundial. “Não devemos esconder o problema. Devemos condená-lo em todas as suas formas. E devemos agir concretamente”, afirmou.

“Precisamos levar o problema a sério, a sociedade está se tornando agressiva e, se houver um esporte que possa unir culturas sem pensar na cor da pele, isso é futebol. Hoje é possível identificar quem faz buuu no estádio: vamos fazê-lo e impedir que ele volte às arquibancadas. O mundo inteiro fala da Itália para este problema, a Itália que é tudo menos racista. Precisamos agir, não dizemos ‘existe também em outro lugar’, enquanto pensamos no que está acontecendo conosco. E vamos nos mudar imediatamente.”

LEIA MAIS:

FIFA promete investir 1 bilhão de euros no futebol feminino nos próximos quatro anos

Enquete: VAR é realmente necessário no futebol brasileiro? VOTE!