Relembre o time do Flamengo campeão da Libertadores de 1981

Clube carioca conquistou o Mundial de Clubes no mesmo ano

Leandro Max Ferreira
Colaborador do Torcedores

Crédito: Divulgação

A geração de Zico, Júnior e companhia é considerada de ouro pelos torcedores do Flamengo. No período de 1980 até 1983, o Clube de Regatas Flamengo conquistou três Campeonato Brasileiros (1980, 1982, 1983), uma Libertadores (1981) e o Mundial de Clubes (1981).

O árduo caminho da América

O Flamengo caiu no Grupo 3 da Libertadores de 1981, com o Atlético-MG e dois clubes do Paraguai (Cerro Porteño e Olímpia). O destino colocou os dois melhores times do Brasil no mesmo grupo. Atlético e Flamengo já vinham fazendo duelos equilibrados desde o Campeonato Brasileiro de 1980. A superioridade de ambas equipes levou os dois clubes a decidirem quem seria o campeão do grupo. Em uma partida tumultuada, o time rubro-negro levou a melhor e seguiu na competição.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

Nas semifinais o Flamengo ficou no Grupo A, com Deportivo Cali e Jorge Wilstermann. No Grupo B ficaram o chileno Cobreloa e os uruguaios Nacional e Peñarol. Com a vaga garantida depois de vencer seus adversários, o Flamengo decidiu o título diante dos chilenos do Cobreloa. Com uma vitória de cada equipe em duas partidas, foi necessário um terceiro jogo em campo neutro. O estádio Centenário, em Montevidéu, recebeu no dia 23 de novembro a partida de desempate – da qual o Mengão saiu campeão.

Os onze em campo pelo Flamengo

Raul Plassmann

Raul Guilherme Plasmann começou a carreira na base do Athletico Paranaense, mas foi no rival Coritiba que se profissionalizou, jogando posteriormente no São Paulo. O goleiro despontou para o futebol vestindo a camisa do Cruzeiro. Nos 13 anos na Toca da Raposa, conquistou dez Campeonatos Mineiros (1965, 1966, 1967, 1968, 1969, 1972, 1973, 1974, 1975, 1977), Campeonato Brasileiro (1966) e Libertadores (1976). Já no Flamengo foram três Cariocas (1978, 1979, 1981), Campeonato Brasileiro (1980, 1982, 1983), Libertadores (1981), Mundial de Clubes (1981). Raul se aposentou em 1983, foi técnico de futebol e depois comentarista.

Nei Dias

Nei Severiano Dias foi lateral-direito de Flamengo e Botafogo. Começou no Glorioso, onde foi bicampeão carioca sub -17. Jogou em General Severiano até 1974. Chegou ao Flamengo em 1981, e mesmo não sendo titular vestiu a camisa rubro-negra nos momentos de glórias do clube. Nas finais da Libertadores, jogou no lugar de Lico, que estava machucado, e de Tita, suspenso.

Leandro

José Leandro de Souza Ferreira atuava em diversas posições (lateral-direito, esquerdo, zagueiro, volante, meia, atacante). No Flamengo e seleção brasileira se consagrou como lateral-direito. Leandro começou nas divisões de base do Rubro-Negro, atuando até 1990. O Flamengo foi seu único clube em toda carreira no futebol. Conquistou duas Bolas de Orata da revista Placar (1982, 1985). Depois de aposentar dos gramados, Leandro abriu uma pousada com seu nome em sua cidade natal, Cabo Frio.

Mozer

José Carlos Nepomuceno Mozer foi dispensado do Botafogo por causa do porte físico franzino. Chegou ao Flamengo em 1975, para compor o grupo, e apenas em 1981 se tornou zagueiro titular. Depois de seis anos vestindo o vermelho e preto, Mozer foi para oo Benfica, de Portugal. Depois de três temporadas jogando no Dragão, foi vendido ao Olympique de Marselle, e depois defendeu o Sporting. Foi gerente de futebol do Flamengo entre 2016/2018.

Marinho

Mário Caetano Filho foi o zagueiro fez dupla com Mozer no Flamengo. Marinho desde jovem era apontado como promissor no futebol. Mas sua carreira demorou a decolar, sendo emprestado diversas vezes para outros clubes. Suas habilidades chamaram atenção de Claudio Coutinho, então técnico do Flamengo, que pediu sua contratação. Foi a maior venda de um jogador feita por um clube do estado do Paraná, 5 milhões de cruzeiros, enchendo os cofres do Londrina. No Flamengo jogou até 1984, quando se transferiu para o Atlético-MG. Se aposentou aos 37 anos, em 1989, jogando pelo Londrina.

Andrade

Jorge Luís Andrade Silva era um volante que começou sua carreira profissional em 1974. No mesmo ano foi emprestado ao ULA Mérida, da Venezuela, retornou para a Gávea em 1978, se tornando titular da equipe principal. Vestiu a camisa rubro-negra por dez anos, e em 1988 foi jogar no futebol italiano pela Roma. No ano seguinte voltou ao Brasil para ser atleta do Vasco da Gama. Depois de uma passagem vitoriosa pelo time da colina, Andrade passou por outros clubes, pendurando as chuteiras em 1999. Em 2009, foi oficializado como novo técnico do Flamengo assumindo no lugar de Cuca. No mesmo ano foi campeão brasileiro.

Júnior

Leovegildo Lins da Gama Júnior, o maestro, era lateral-esquerdo de formação, mas, com muitas qualidade, foi um jogador de inúmeras funções dentro de um time. Podia jogar do lado esquerdo como volante ou meio de campo. Essas habilidades foram construídas no futebol de salão do Sírio Libanês. Em 1973, passou no teste para jogar no Flamengo, onde esteve por 11 anos. Em 1984, foi jogar no futebol italiano, passou por Torino e Pescara. Voltou para a Gávea para ser campeão brasileiro em 1992. Em 1993, deixou os gramados e virou treinador de futebol, com duas passagens pelo Flamengo (1994, 1997). Atualmente é comentarista do Grupo Globo.

Tita

Milton Queiroz da Paixão subiu para o time principal do Flamengo em 1977. Originário do meio de campo, foi improvisado na ponta-direita por ter muitos concorrentes naquele setor. Logo se adaptou a nova função, fazendo boa partidas como atacante. Foi campeão carioca três vezes (1978, 1979, 1981). Em 1983, foi emprestado ao Grêmio, ajudando o Tricolor gaúcho a conquistar a Libertadores daquele ano. Depois da conquista da América pelo Grêmio, Tita voltou ao Flamengo e assumiu camisa 10 de Zico, que havia sido vendido para o futebol da Itália.

Nunes

João Batista Nunes de Oliveira teve uma passagem muito apagada pelo Flamengo no final dos 1960, dispensado pelo clube por não apresentar qualidades para ser um jogador de futebol. Sem chance em uma equipe profissional, Nunes foi jogar em equipe amadora da Bahia, Internacional da Serra da Carnaíba, indo parar no Confiança, de Sergipe. Com o sucesso no time sergipano em 1976, foi para o Santa Cruz, onde jogou por dois anos, marcando 37 gols. Em 1980, realizou o sonho de infância sendo contratado pelo Flamengo. Nunes caiu nas graças da torcida flamenguista quando fez dois gols na final do Mundial de Clubes, contra o Liverpool. Em 1992, depois de jogar em vários clubes brasileiros (Atlético-MG, Santos, Náutico, Santa Cruz) pendurou as chuteiras.

Adílio

Adílio de Oliveira Gonçalves começou a jogar bola na praia. Em 1975, com 19 anos, foi promovido ao profissional do Flamengo, fazendo com a camisa rubro-negra: 615 jogos e 28 gols. Formou ao lado de Zico um dos melhores meios de campo da história do clube. Depois de se aposentar dos gramados, Adílio virou jogador de futebol de salão, tendo atuado na seleção brasileira.

Zico

Arthur Antunes Coimbra é sem dúvidas o maior nome da época de ouro do Flamengo (1980/1983), tendo vencido tudo com o clube carioca. Zico começou a jogar bola no time de bairro Quintino Bocaiúva, zona norte do Rio de Janeiro. Levado ao Flamengo pelo técnico da equipe do bairro, Zico só fez sua estreia no time principal em 1971, diante do maior rival, Vasco da Gama. Em toda sua carreira foram 850 partidas, com 587 gols. Zico tem algumas marcar que até hoje não foram batidas, como, por exemplo, ser o maior artilheiro do Maracanã, com 333 gols. Foi eleito o melhor jogador do Mundial de Clubes de 1981, chuteira de bronze pela FIFA (1982), seleção ideal da FIFA (1982), melhor camisa 10 da Copa do Mundo da Espanha (1982).

LEIA MAIS:
Responsável por levar Filipe Luís ao Flamengo conta bastidores da negociação