Rugby World Cup 2019: Confira quatro encontros épicos entre argentinos e ingleses

Soco e Inglaterra vestindo preto na Nova Zelândia marcaram os duelos entre as equipes

André Zanete
Jornalista com um pé no design gráfico, apreciador de uma boa cerveja, fotografo nas horas vagas e um eterno estudante da vida (profundo, eu sei).

Crédito: Getty Images via Rugby World Cup

Argentina e Inglaterra se enfrentaram pela primeira em 1981, em Buenos Aires. O resultado foi um empate, o único entre os 23 confrontos entre a equipes. Desde então, a vantagem é esmagadoramente inglesa, são 19 vitórias contra apenas quatro dos Pumas.

Em Copas do Mundo as equipes se enfrentam pela terceira vez na história, no dia 05 de outubro, no Estádio de Tóquio. A Inglaterra venceu os dois jogos anteriores em Copas do Mundo, em 1995 e 2011, e não sabe o que é perder para os argentinos desde 2009, já são nove jogos de invencibilidade.

Mas não foi sempre um caminho fácil para os ingleses, aqui estão quatro jogos épicos entre as equipes.

Argentina 12 x 25 Inglaterra 

Primeiro jogo da série de dois, em Buenos Aires, 28 de julho de 1990

No oitavo aniversário da Guerra das Malvinas, a Inglaterra se tornou o primeiro time britânico a visitar a Argentina desde o conflito. Mesmo sem seus jogadores chaves, a Inglaterra segurou a pressão argentina e saiu vitoriosa. 

O jogo também marcou a estréia do pilar Jason Leonard, aos 21 anos, com a camisa da seleção inglesa. Por quase 30 anos, Leonard foi o pilar mais novo a estrear com a camisa da Inglaterra.

No segundo encontro da série, os argentinos ganharam por 15 a 12.

Inglaterra 51 x 0 Argentina

Twickenham, 3 de Novembro de 1990

Esta grande vitória inglesa sempre lembrada pelo incidente entre o segunda linha Paul Ackford e o hooker argentino Frederico Mendez, de apenas 18 anos.

A seleção inglesa era formada pelos atletas que chegariam a final da Copa de 1991, e a Argentina não tinha reação para a combinação de força e habilidade do time inglês. A paciência argentina se esgotou quando, faltando dez minutos para acabar o jogo, o pilar Jeff Probyn apertou Mendez com suas pernas.

A ação levou ao colapso do scrum, com as duas equipes dizendo que eram inocentes, mas o resultado foi um adolescente muito irritado que, ao se levantar, achou que Ackford havia sido o responsável. Mendez desferiu um soco que derrubou o jogador inglês e rendeu ao argentino um cartão vermelho e quatro semanas de afastamento.

O jogo seguiu e o incidente foi ofuscado pela belas belas atuações de Rory Underwood, marcando três tries, e do full-back Simon Hodgkinson, com 23 pontos.

Inglaterra 18 x 25 Argentina

Twickenham, 11 de novembro de 2006

Um dia histórico para o rugby argentino, no qual eles conseguiram a primeira, e até o momento única, vitória em Twickenham, a ajudaram a derrubar o técnico da seleção inglesa Andy Robinson, que acabou saindo duas semanas depois.

O caso de amor entre os torcedores e a equipe que foi campeã da Copa do Mundo de 2003 já havia terminado e a derrota para a Argentina e sétima seguida da equipe inglesa, rendeu vaias para o técnico, que foi peça fundamental na conquista de 2003.

O time dos Pumas era composto por alguns dos melhores jogadores que já vestiram a camisa da seleção nacional, entre eles o atual técnico argentino Mario Ledesma como hooker, Juan Martin Hernandez como full-back, Felipe Contepomi de abertura, Patricio Albacete e Fernandez Lobbe na segunda linha, e Juan Martin Fernandez Lobb como asa.

 

Inglaterra 13 x 9 Argentina

Dunedin, Copa do Mundo de Rugby, 10 de setembro de 2011 

Ao optar por vestir seu segundo uniforme totalmente preto, a Inglaterra irritou toda a Nova Zelândia antes mesmo de dar um chute na partida. A lenda dos All Blacks Jonah Lomu acusou a Inglaterra de falta de respeito a famosa camisa preta da seleção sede.

A Inglaterra cedeu 8 penalidades para os argentinos no primeiro tempo da partida, em que Dan Cole recebeu um amarelo e o herói da Copa de 2003 John Wilkinson errou cinco chutes. A salvação da equipe inglesa foi um try aos 67 minutos de Ben Youngs, virando o jogo.

A Argentina ficou para refletir sobre o que poderia ter sido o fato de seus kickers normalmente confiáveis, como Wilkinson, terem jogado fora inúmeras chances de punir um time da Inglaterra que parecia ter a intenção de se autodestruir sob o ex-capitão Martin Johnson.

Felipe Contepomi, que converteu seu primeiro penal, mas perdeu o segundo, passou os chutes para Martin Rodriguez, que perdeu cinco penais no total. Wilkinson converteu o try de Youngs e anotou um pênalti a seis minutos do final da partida, dando à sua equipe uma vitória estreita.