Tiro Paralímpico: Brasil tem quatro representantes em Mundial

Tiro Paralímpico está tendo seu Mundial realizado na Austrália

Carlos Lemes Jr
Colaborador do Torcedores

Crédito: Delegação brasileira conta com quatro atletas no Mundial (Divulgação/CPB)

A competição começou na última sexta-feira, 11 de outubro, distribui vagas diretas para os Jogos Paralímpicos de Tóquio e o Brasil tem quatro representantes na disputa: Alexandre Augusto Galgani, Carlos Henrique Prokopiak Garletti, Débora da Silva Rodrigues Campos e Geraldo Von Rosenthal.

Conhece a TV Torcedores? Clique e se inscreva!

Ao todo, 53 vagas para Tóquio no Tiro Paralímpico estarão em jogo. O melhor atirador em cada disciplina assegura um lugar para seu respectivo país. Caso o atleta já tenha se classificado, o próximo mais bem posicionado da prova assegura a qualificação ao seu país. No Mundial, o Brasil poderá conquistar até três vagas para os Jogos.

A performance brasileira em solo australiano sucede a estreia da modalidade nos Jogos Parapan-Americanos, em Lima, no Peru. Nossos atiradores conquistaram dez medalhas: foram duas de ouro, cinco de prata e três de bronze. O grande destaque foi Geraldo Rosenthal, que faturou dois ouros e uma prata. Galgani amealhou uma prata, assim como Garletti e Debora.

Após o Mundial de Sydney, os atletas terão apenas mais uma chance de classificação para os Jogos de Tóquio, em uma etapa da Copa do Mundo da modalidade ainda a ser definida.

No último Mundial de Tiro Paralímpico, no ano passado, em Cheongju, na Coreia do Sul, o Brasil foi representado por três atletas e o melhor resultado foi o 13º lugar na pistola livre (P4) com Geraldo Rosenthal, que também bateu dois recordes das Américas nesta competição. Já nos Jogos Paralímpicos Rio 2016, o Brasil teve a maior equipe de tiro esportivo de sua história nos Jogos Paralímpicos. Pela primeira vez, o país contou com três atletas, que se classificaram de forma direta, além de um que foi por convite. O grupo foi composto por Débora Campos e Geraldo Rosenthal, nas provas de pistola, e Alexandre Galgani e Carlos Garletti, nas provas de carabina. A melhor colocação foi o 13º lugar de Débora Campos na pistola de ar 10m feminino.

Conheça os atletas brasileiros que estarão no Mundial

CARLOS HENRIQUE PROKOPIAK GARLETTI
Nascimento: 29/11/1974, São Caetano do Sul (SP)
Peso: 70kg
Altura: 1,70m
Classe: SH1

História: Garletti voava sozinho de parapente quando sofreu um acidente durante a aterrissagem, em 2002. O forte impacto com o solo provocou uma fratura na lombar, que diminuiu a força de suas pernas. Ele, que sempre gostou de atirar, passou a se dedicar ao tiro esportivo em 2003.
Principais conquistas: prata na carabina 50m mista nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019.

DÉBORA DA SILVA RODRIGUES CAMPOS
Nascimento: 04/10/1975, Itaboraí (RJ)
Peso: 54kg
Altura: 1,60m
Classe: SH1

História: Em julho de 1987, Débora foi atropelada em Itaboraí (RJ) e dez meses depois, devido a uma complicação, teve a perna direita amputada. Durante o período de recuperação, quando ainda era criança, a fluminense radicada em Curitiba (PR) brincava de espingarda de chumbinho. Ficou sem ter contato com o tiro por muito tempo, quando em 2009, em uma conversa informal com um colega, descobriu que ele praticava o esporte. Após alguns meses de treino, conquistou a medalha de ouro no Campeonato Brasileiro da modalidade.
Principais conqusitas: prata na pistola de ar 10m nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019.

GERALDO VON ROSENTHAL
Nascimento: 13/02/1975, Campo Bom (RS)
Peso: 135kg
Altura: 1,86m
Classe: SH1

História: No tiro esportivo há mais de uma década, Geraldo Rosenthal praticava a modalidade apenas por hobby. Com má-formação congênita na mão direita, chamada de síndrome de Poland, ele não conseguia competir com atiradores convencionais. Em 2007, o gaúcho conheceu Carlos Garletti e passou a competir nos campeonatos paralímpicos. O atleta fez história na Tailândia, em 2013, ao ser o primeiro brasileiro a conquistar um ouro em uma etapa de Copa do Mundo.
Principais conquistas: ouro na pistola 50m e na pistola de ar 10m e prata na pistola 25m nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019.

Programação do Brasil no Mundial

12/10 – P3 Pistola 25m – Geraldo e Debora; R3 Carabina de ar deitado 10m – Garletti;

13/10 – R4 Carabina de ar em pé 10m – Galgani;

14/10 – P5 Pistola de Ar Standard 10m – Geraldo; R7 Carabina 3×40- Garletti; P6 Prova mista (time) Pistola de Ar 10m Geraldo e Debora;

15/10 – R5 Carabina de ar deitado 10m – Galgani; P4- Pistola Livre 50m – Geraldo;

17/10 – P2 Pistola de ar 10m – Debora; R6 Carabina Deitado 50m – Garletti; R9 Carabina 50m – Galgani;

18/10 – P1 Pistola de ar 10m – Geraldo;

LEIA MAIS

Beach Tennis do Brasil desembarca em Doha nos Jogos Mundiais de Praia