Visão de repórter: Seleção Brasileira sub-23 goleia a Venezuela em amistoso preparatório para o Pré-Olímpico

A partida foi realizada no estádio dos Aflitos, que após 80 anos de história, recebeu sua primeira partida da Seleção nacional

Robson Santos
Colaborador do Torcedores

Crédito: Robson Santos/Torcedores

Na noite desta quinta-feira (10), no estádio dos Aflitos, a Seleção Brasileira Sub-23 venceu a Venezuela pelo placar de 4 a 1, em amistoso preparatório para o Pré-Olímpico que acontecerá em janeiro. A partida foi a primeira, das duas, em que o Brasil fará na Região Metropolitana do Recife. Os gols da equipe canarinha foram marcados por Douglas Luiz, Antony (2x) e Pedro. Já pelo lado Vinho Tinto, Cásseres foi quem mandou para o fundo do barbante.

Certamente, o dia 10 de outubro ficará marcado nos registros do Eládio de Barros Carvalho. Afinal, após 80 anos de existência, o estádio dos Aflitos recebeu a primeira partida da Seleção Brasileira na história. E como já era esperado, na chegada da torcida ao local do jogo, os mantos do Náutico se misturavam em grande número com as camisas amarelinhas. Nesse ínterim, se fosse para lançar um palpite, diria que as proporções ficaram de 60% para as cores do Brasil e 40% para as alvirrubras.

Dentro do estádio, enquanto a seleção do Brasil realizava o aquecimento, as torcidas dos três clubes da capital pernambucana confraternizavam, sem problemas. Foi possível escutar hinos do Náutico, Santa Cruz e Sport sendo executado pelos torcedores em um clima, realmente, amistoso. Foi bonito de ver, fica como exemplo.

Brasil x Venezuela

Robson Santos/Torcedores

Logo depois, a hora mais esperada pelos espectadores estava chegando. As seleções entraram em campo. Ficaram enfileiradas para a execução dos hinos nacionais, e naquele momento a emoção começava a pulsar. Contudo, inesperadamente, ao término da última sentença do hino brasileiro, “Dos filhos deste solo és mãe gentil, pátria amada, Brasil!”, a energia no estádio dos Aflitos caiu. Portanto, o fato deixou o local da partida no escuro e atrasou o início do espetáculo em 15 minutos.

Brasil x Venezuela

Robson Santos/Torcedores

O JOGO

A princípio, a partida começou com as equipes se estudando e, cada uma, tentando se encontrar dentro de campo. Mas o primeiro encaixe foi do Brasil, pelo lado esquerdo, com Caio Henrique, Pedrinho e Paulinho. Por lá, saíram os primeiros lances de perigo à baliza do goleiro Graterol.

Contudo, água mole em pedra dura, tanto bate até que fura, não é? Então, aos 23 minutos, após uma bola alçada na área, Matheus Cunha tenta completar de bicicleta, mas não bateu bem. Porém, bastou o toque sútil do centroavante para a pelota sobrar na entrada da área ao Douglas Luiz, que soltou um balaço para o fundo das redes: Brasil 1×0 Venezuela. Contudo, mar calmo não faz bom marinheiro, não é? Portanto, no momento em que a equipe brasileira dominava a partida, aos 36, Cásseres faz boa jogada, deixando dois marcados para trás e completa com um chute forte, tirando do goleiro Ivan: Brasil 1×1 Venezuela.

Por outro lado, foi só o árbitro dá início a partida, para perceber que a seleção do Brasil voltou diferente. Quase avassaladora. Porque, logo aos 5 minutos, Antony recebe na entrada da área e bate forte no canto direito do gol, sem chances para Graterol: Brasil 2×1 Venezuela. Posteriormente, aos 8, Antony recebe uma bola infiltrada por Paulinho, domina e bate na saída do goleiro: Brasil 3×1 Venezuela. Enfim, para completar o placar, aos 29, depois de um vacilo da zaga Vinho Tinto, a bola sobra para Pedro, que manda para o fundo das redes: Brasil 4×1 Venezuela.

RESPEITO, CARINHO E AGRADECIMENTO

Após o final do amistoso, antes de descerem para os vestiários, os jogadores da Seleção Brasileira foram até a beira do gramado para atender os espectadores. Certamente, era possível ver os olhos das crianças brilharem, em ver e até abraçar, os astros do futebol brasileiro. Do mesmo modo, uma foto ou um autógrafo eram pedidos quase que unânimes. O carinho da torcida foi respondido com o respeito por parte dos jogadores, que fizeram de tudo, para atender as expectativas dos que estavam ali presentes. Na Zona Mista, Pedro, ex-atleta do Fluminense e hoje na Fiorentina-ITA, falou um pouco desse carinho do povo recifense.

Pedro

Rafael Araújo/Colaboração

É como eu falei, aqui em Recife estava contagiante. Acho que é gratificante, para todos nós, ter esse carinho da torcida e a gente tenta retribuir o máximo para a criançada. Eu já fui criança um dia, tive ídolo também e sei como é que é receber esse carinho e fico feliz em retribuir”, declarou o atacante.

Leia mais:

Apagão nos Aflitos atrasa início de amistoso da Seleção Brasileira Sub-23