13 dias para a 6ª temporada da Fórmula E: GEOX Dragon

O time de Jay Penske vem com uma nova dupla de pilotos para a sexta temporada da Fórmula E

Rodrigo Nascimento
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Fórmula E / Montagem: Rodrigo Nascimento

Um dos nomes mais fortes do automobilismo norte-americano, Jay Penske criou a equipe Dragon exclusivamente para disputar a Fórmula E, a qual está presente na categoria desde o primeiro ano da competição de carros elétricos.

Esportes de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Depois de uma primeira temporada onde chegou a disputar o título de equipes com a Renault e.Dams e terminou em segundo lugar, a Dragon foi caindo de rendimento diante de suas adversárias na Fórmula E, e nem mesmo a parceria com a Faraday Futuro (montadora americana de carros elétricos localizada na Califórnia) durante o terceiro ano, deu certo.

Depois de mais um ano amargando as últimas posições na Fórmula E, a equipe anunciou uma nova parceria, desta vez com a grife Geox. Com o argentino José Mária López e o alemão e estreante Maximilian Gunther, os resultados continuaram abaixo do esperado, o que fez com que Gunther fosse substituído durante algumas provas pelo brasileiro Felipe Nasr, que também não teve sucesso.

Max Gunther voltou para terminar a temporada, e até conquistou alguns resultados interessantes, mas nada que pudesse evitar que a GEOX Dragon terminasse a temporada apenas na 10ª posição do campeonato, a frente apenas da NIO.

Para a sexta temporada, o time vem com novidades: “Pechito” López deixou a categoria, enquanto Max Gunther foi para a BMW i Andretti Motorsport. Para seus lugares, a equipe americana apostou em um ex-F1 e bicampeão Mundial de Endurance: Brendon Hartley, e o novato Nico Muller, que foi piloto de testes da Audi Sport ABT Schaeffler nos últimos anos.

O neozelandês Brendon Hartley tem uma carreira curiosa: passou boa parte de sua carreira em corridas de monopostos, mas foi nas provas de resistência que obteve seus melhores resultados. Após ter se destacado em seu país, passou a ser piloto da academia da Red Bull Racing, equipe de F1, e até chegou a ser pilotos de testes tanto do time principal da empresa de energéticos, quando da Toro Rosso, a equipe B na categoria.

Sem conquistar um espaço no time austríaco, Hartley foi tentar a sorte em outras competições, e deu certo: foram dois títulos no WEC (Mundial de Endurance), além de uma vitória na tradicional 24 Horas de Le Mans. A tão esperada chance na F1 veio na temporada 2018, como piloto titular da Toro Rosso, mas não foi tão boa quanto o piloto neozelandês esperava. Agora, Hartley tem um novo desafio: uma carreira de sucesso nos monopostos elétricos.

Ao lado de Hartley, a GEOX Dragon terá o suíço Nico Muller, que não é exatamente um novato. Muller foi nas últimas duas temporadas, piloto de testes da Audi Sport SBT Schaeffler, chamou muito atenção nos testes em que participou, sendo sempre o mais rápido.

Com isso, foi se tornando questão de tempo para Muller conquistar um espaço no grid da Fórmula E, e agora que conquistou, terá a chance de provar que os feitos que demonstrou nos testes, podem ser repetidos durante a sexta temporada.

NOME DA EQUIPE: GEOX Dragon

HISTÓRICO DA EQUIPE NA FÓRMULA E: 58 ePrix, 2 vitórias e 9 pódios

DUPLA DE PILOTOS: Brendon Hartley (NZL) e Nico Muller (SUI), ambos novatos na categoria

LEIA MAIS:
14 dias para a 6ª temporada da Fórmula E: NIO 333 Team
15 dias para a sexta temporada da Fórmula E: Mercedes-Benz EQ