Análise: sob o olhar de Toto Wolff, Mercedes tem estreia convincente na Fórmula E

A Mercedes fez a sua estreia como equipe de fábrica no último fim de semana com a rodada dupla de Ad Diriyah, sob o olhar de Toto Wolff, diretor esportivo da montadora alemã

Rodrigo Nascimento
Colaborador do Torcedores.com, amante dos esportes americanos e do automobilismo.

Crédito: Foto: Fórmula E

Toto Wolff já é um personagem conhecido dos fãs de F1, afinal de contas, trata-se do homem-forte da Mercedes, a equipe que domina a “Era Híbrida” da categoria. E ele fez questão de marcar presença em Ad Diriyah, para ver de perto a estreia da equipe da montadora alemã na Fórmula E.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Na verdade, não foi exatamente uma estreia: a Mercedes já estava na Fórmula E desde a quinta temporada, mas como HWA Racelab, um time-satélite cuja finalidade era conhecer todo o funcionamento da categoria de carros elétricos.

Nesta temporada a Mercedes chegou como time de fábrica: Mercedes-Benz EQ. Manteve Stoffel Vandoorne e trouxe o jovem Nyck de Vries, campeão este ano da F2. Ian James será o chefe da equipe, mas em Ad Diriyah, ganhou uma companhia: Toto Wolff, acompanhando tudo de perto.

Os resultados foram interessantes. Foram dois pódios, e a liderança provisória com 38 pontos conquistados em Ad Diriyah. Vandoorne foi terceiro colocado nas duas provas, e o jovem De Vries ainda marcou seus primeiros pontos na competição, já em sua primeira prova.

Na primeira prova, a Mercedes conseguiu colocar seus dois pilotos na disputa da Super Pole, largando em segundo e terceiro lugar. No segundo E-Prix as coisas foram um pouco mais complicadas: Vandoorne largou em 11º enquanto De Vries saiu da 23º.

Ainda assim, Vandoorne foi terceiro colocado nas duas corridas, e com este resultado, a Mercedes lidera o campeonato de equipes. Para a alegria de Toto Wolff. Uma estreia muito além do esperado.

Logo após o primeiro treino classificatório, Wolff falou que a equipe tinha objetivos modestos neste inicio de competição: “Você adota uma abordagem humilde. Não tínhamos o sentimento de sermos competitivos desde o começo. Tivemos um bom início, muito melhor do que no pior cenário. Precisamos ter uma boa largada, mas não nos deixar levar.”

Toto Wolff se ausentou do GP Brasil de F1 justamente para acompanhar a estreia da Mercedes-Benz EQ na Fórmula E. Nesta temporada, a montadora alemã se junta a outras três compatriotas do mundo automotivo: Audi e BMW que já estavam presentes na categoria, e a Porsche, que ingressou este ano. Pela primeira vez em 250 anos, as quatro gigantes alemãs estarão disputando uma mesma competição.

Com tantos boatos sobre a permanência ou não da Mercedes na F1, com as mudanças de regras previstas para 2021 e após liderar a Era Híbrida da categoria com seis títulos mundiais de pilotos e construtores, a montadora alemã está atenta a Fórmula E, o “laboratório” perfeito para desenvolver os carros elétricos, vistos como uma tendência mundial para os próximos anos.

O quanto este bom inicio da Mercedes pode influenciar na F1, não é possível afirmar. Uma coisa é certa: a Mercedes não entra em nenhuma competição para ser mera coadjuvante. É questão de tempo para enfrentar de igual para igual as outras montadoras na Fórmula E. Em Ad Diriyah, já foi possível ter uma noção disso…

LEIA MAIS:
Confira a programação para o GP de Abu Dhabi de Fórmula 1
Fórmula E: Confira a classificação da 6ª temporada após Ad Diriyah