Maurício Capela analisa o Botafogo, que chegou à zona de rebaixamento na 31ª rodada

Com 33 pontos no campeonato e abrindo a zona de rebaixamento, o clube luta para não conhecer a Série B pela terceira vez em sua história

Maurício Capela
Jornalista há 25 anos, Maurício Capela é comentarista esportivo há mais de uma década e hoje está na Super Rádio. Foi escolhido pela Associação do Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo (Aceesp) como um dos três melhores na função em televisão, em 2016, quando atuava pela RedeTV!. Com passagens pelas rádios 105 FM, Tri FM de Santos (SP), Tropical FM, entre outras, o profissional tem larga experiência também no jornalismo impresso e digital. Além de ter mantido blog sobre esportes no Estadão, militou em Veja, Valor, Gazeta Mercantil e outros.

Crédito: Wagner Meier/Getty Images

O Botafogo está na zona do rebaixamento do Campeonato Brasileiro de 2019. Depois de várias rodadas flertando com as últimas posições, o clube, depois da derrota para o Flamengo por 1 a 0 nesta quinta-feira, despenca na tabela em um momento crucial da competição. Afinal, faltam apenas 7 rodadas para o fim.

Mas a derrota no clássico foi só mais um capítulo na vida turbulenta do Botafogo. O time anda endividado, tem poucas possibilidades em fazer grandes contratações e precisa lidar com as ameaças frequentes de queda na primeira divisão nacional.

Números

Na 17a. colocação do campeonato, ou seja, o time é o primeiro a figurar na zona de rebaixamento, o Botafogo soma 33 pontos, um a menos que o Cruzeiro, o primeiro fora do pelotão que vai descer para a Série B em 2020.

Mas essa distância vira um abismo quando se olha para os números do time no campeonato. O Botafogo tem o quarto pior ataque do Brasileiro 2019: 26 gols em 31 jogos. E tem a sexta pior defesa, 40 gols até aqui.

Cartões

Com a ajuda do FootStats, fica claro que deixar a zona de rebaixamento vai demandar muito comprometimento do elenco. E nervos no lugar.

O clube é o terceiro que mais recebeu cartões amarelos no torneio. Em 31 rodadas, foram 78, o que dá uma média de 2,5 por partida.

Já em vermelhos, a situação está longe de ser dramática. Tomou 3 em todo o campeonato. Só Athletico Paranaense e Ceará ainda não tomaram vermelhos no Brasileiro deste ano.

Bola

Mas para tirar o pé da zona do rebaixamento, o Botafogo também precisa fazer melhor o que já faz de bom na competição. E aprimorar muita coisa também.

O time tem 52% de posse de bola, o que lhe dá a oitava posição no indicador. O Santos, por exemplo, que lidera esse fundamento, tem 59%. Ou seja, a distância não é tão grande.

O problema é o que fazer quando tem a bola. Por exemplo, finalizar melhor. O clube é o segundo pior nesse quesito. Até aqui, em 31 rodadas, chutou 288 vezes ao gol adversário. Pior que ele, só o CSA, que finalizou 276 vezes.

Trocando em miúdos, o desafio é enorme. E se a matemática aponta risco de queda ao redor de 30%, há quem olhe o elenco, o ambiente e a torcida, e tem outra sensação. O sentimento de que será muito difícil, novamente, escapar da Série B do Brasileiro em 2020.