CBF rompe com patrocinadora por falta de pagamento, diz blog

“Calote” veio de patrocinadora mais simbólica da confederação em sua nova fase

Matheus Camargo
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação/CBF

A CBF rompeu o contrato de patrocínio que mantinha com a Ultrafarma, que assinou com a confederação em 2015 segundo publicou o blog do Marcelo Rizzo, do UOL.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

A empresa farmacêutica deixou de pagar o patrocínio, o que motivou a CBF a quebrar o acordo feito há quatro anos.

“Em razão de inadimplemento contratual por parte da empresa, a CBF notificou-a e interrompeu a exibição da marca”, publicou o blog, que recebeu a nota da confederação.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

O patrocínio da Ultrafarma era um dos mais simbólicos da atual fase da CBF, já que foi o primeiro a ser assinado após ter estourado a polêmica envolvendo a prisão do ex-presidente José Maria Marín e o afastamento de Marco Polo del Nero, que foi banido do futebol em 2018.

O contrato com a empresa era válido por 30 anos e o valor era de R$ 9 milhões anuais. O acordo para a revisão do patrocínio era a cada cinco anos, mas a inadimplência fez que com que a parceria fosse quebrada antes mesmo da primeira revisão.

Leia mais:
Fidelização de jovens e válvula de escape: como o Magnus Futsal usa a internet para alcançar novos públicos