Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

“Clube mais progressista do Brasil”, diz jornal inglês ao elogiar ações do Bahia

Publicação do jornal inglês The Guardian ressalta ações feitas pelo clube sobre questões políticas e sociais. Em uma das atividades, Bahia fez doações para limpeza de óleo nos mares do Nordeste

Jéssica De Paula Alves
Jornalista amapaense migrada em Belo Horizonte (MG). Nascida em março de 1990, é gremista e adora esportes desde a infância. Faixa branca em jiu-jitsu, também é fã de rock e ama unir suas paixões.

Crédito: Reprodução/Twitter

As ações de cunho social feitas pelo Esporte Clube Bahia chamaram a atenção do jornal inglês The Guardian. Com uma reportagem publicada nesta quarta-feira (13), o periódico ressalta o clube, o elogiando como “o mais progressista do Brasil”.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Não é de hoje que a diretoria do clube tem se engajado para usar o futebol como cenário para discussões relevantes para a sociedade. Campanhas como o lançamento da camisa invisível, contra a violência nos estádios. Semelhantemente a promoção da igualdade de gênero com as bandeirinhas da Fonte Nova nas cores LGBT e a campanha de doação para a limpeza do óleo dos mares no Nordeste são alguns exemplos.

Assim, a reportagem, assinada pelo jornalista Joshua Law mostra ao leitor o histórico de ações feitas pelo Bahia. O texto tece elogios enquanto conta a história do clube e suas ações.

Mais recentemente, no jogo contra o Fluminense, o treinador Roger Machado junto a Marcão, do tricolor do Rio se engajaram numa campanha contra o racismo. Contudo, na coletiva após o jogo, o treinador do Esquadrão fez um discurso chamando a atenção para o racismo.

“A intervenção da Bahia sobre o assunto não surpreendeu os fãs de futebol no Brasil. Nos últimos dois anos, o clube desenvolveu uma reputação como o clube mais democrático. E socialmente envolvido no país, realizando campanhas sobre questões como racismo, direitos LGBTQ, demarcação de terras indígenas e tratamento de torcedores em estádios de futebol. Ao mesmo tempo, eles conseguiram reduzir os preços dos ingressos, aumentar as receitas, pagar parte da dívida que estava prejudicando o clube e melhorar seus resultados em campo”, diz trecho da reportagem.

Leia o texto completo (em inglês) AQUI

LEIA MAIS

Manuela D’ávila brinca que o Bahia está tentando a converter após ações sociais