Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Cuca: histórico de “salvador da pátria” faz dele boa opção para times ameaçados

Cuca tem ótimo retrospecto de conseguir recuperar times a ponto de salvá-los da queda. Sem clube, técnico é uma aposta interessante para equipes ameaçadas

Luiz Mutschele
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: twitter oficial Santos

Exceção ao Cruzeiro, que após a chegada de Abel Braga dá sinais de recuperação, clubes tradicionais como Botafogo, Atlético- MG e Fluminense (este último na zona de rebaixamento), mesmo com mudanças de técnico não tem mostrado a reação que se imaginava. O mau momento faz com que torcedores lembrem de um nome que é comum a todos: o do técnico Cuca, atualmente sem clube.

Aniversário CLUBE EXTRA

Clique e veja as melhores promoções!

Com excelentes trabalhos comandando os três times, inclusive tendo salvado já o Atlético-MG e Fluminense da queda, ele tem um histórico de sucesso na recuperação de times na parte de baixo da tabela, como podemos ver abaixo:

Goiás 2003

O primeiro grande trabalho de Cuca partiu justamente de salvar um time da queda. Quando ele assumiu o Goiás, a equipe era lanterna do campeonato e uma das favoritos ao rebaixamento. Com uma incrível sequência de 16 jogos de invencibilidade, o time tornou-se a grande sensação do campeonato, terminando o Brasileirão na 9ª posição com 65 pontos (vale lembrar que nessa competição tinham 24 equipes).

São Caetano 2005

Poucos devem se lembrar, mas ele fez uma passagem relâmpago de apenas cinco jogos no Azulão do ABC Paulista. Ele assumiu com a missão de salvar o clube na reta final do torneio, quando o mesmo estava na 16ª posição, apenas três pontos acima do Figueirense, primeiro time na zona de rebaixamento. Com duas vitórias, dois empates e uma derrota, time de Cuca terminou na 15ª posição, livre do descenso.

Fluminense 2009

Talvez o mais famoso dos casos, pois quando ele assumiu o time era lanterna da competição com 16 pontos, oito a menos que o Santo André, primeiro fora da zona de rebaixamento e com 99% de chance de rebaixamento, segundo matemáticos na época. Com uma das reações mais impressionantes da história dos pontos corridos o time conseguiu se safar da queda com 46 pontos (apenas um ponto acima do primeiro a cair, a equipe do Coritiba). Um dos grandes momentos da recuperação, foi a sequência de seis vitórias consecutivas entre a 32ª e a 37ª rodadas.

Atlético-MG 2011

Um dos melhores trabalhos da carreira de Cuca também começou com ele chegando para salvar o time do rebaixamento. Ele assumiu no Lugar de Dorival quando o Galo vinha e má fase e chegou até a deixar o time na penúltima posição com uma sequência de derrotas na sua chegada. Apesar de neste caso não ter feito uma campanha muito regular (chegou a ser goleado por 6 a 1 pelo Cruzeiro na última rodada), ele conseguiu deixar o time na 15ª posição e livre do descenso.

Santos 2018

Seu último bom trabalho foi no time Santista, que vivia má fase quando ele assumiu e chegou a ficar na 18ª posição após a derrota para o Atlético-MG por 3 a 1. Na sequência Cuca conseguiu ajustar o time, que chegou a 7ª posição na 31ª rodada ao vencer o Fluminense. A equipe sonhou com a possibilidade de classificação para a Copa Libertadores, mas com problemas internos o time caiu de produção, terminando em 10ª com 50 pontos, bem distante da zona de rebaixamento.

Com um histórico variado de salvamentos, Cuca mostra que mesmo com um espaço de tempo pequeno ainda pode ser capaz de fazer o suficiente para que o time possa permanecer na elite do futebol, porém fica a dúvida se ele teria interesse em novamente chegar para “apagar incêndio” de um time em crise.

Leia mais:

Fluminense tenta encerrar retrospecto ruim e tabu no clássico contra o Vasco

Contrariando Mano, Palmeiras tem mais jogadores que decidiram jogos que Flamengo

Internazionale x Milan: Nerazzurri melhor que o rival também no faturamento