Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Diego Costa: seca de gols do atacante contrasta com fase “garçom”

Sem marcar há quase um mês, Diego Costa é atualmente um dos principais assistentes da temporada, ao lado de Ángel Correa, com três passes para gol

Luiz Mutschele
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: twitter oficial Atlético de Madrid

Diego Costa vive um momento de seca de gols no Atlético de Madrid: são apenas dois na temporada, contra o Mallorca e contra o Valencia. Desde então já são seis jogos sem balançar as redes, o oposto da fase artilheira de Álvaro Morata, que conta com sete gols na temporada, sendo que marcou justamente nos seis últimos jogos da equipe.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Essa fase surpreende especialmente pela ótima pré-temporada, onde Diego Costa chegou a marcar quatro gols na histórica goleada contra o Real Madrid. O momento ruim o levou a perder a posição no time titular, que no último jogo teve como dupla de ataque Vitolo e Morata.

Apesar de não balançar as redes como era esperado, no último jogo do time, contra o Espanyol, pode ser vista uma característica dele que vem chamando atenção: a de “garçom”. Jogando pouco mais de dez minutos no último confronto, ele deu o passe para o último gol da equipe, marcado por Koke. Com essa assistência ele chegou a três na temporada (sendo as outras contra o Lokomotiv Pela Champions e Eibar pela La Liga) e se igualou a Ángel Correa como principal assistente da equipe na temporada.

Seu desempenho não passou despercebido por Simeone, que exaltou a entrega dele para a equipe, mesmo depois de perder a condição de titular. Tal dedicação também foi notada na partida anterior, o empate com o Sevilla, onde mesmo tendo perdido um pênalti, ele iniciou a jogada que originou o gol de empate do Atlético de Madrid, marcado por Morata.

Leia mais:

Soteldo, Marinho e Sasha: o improvável trio decisivo do Santos

Mascherano pode voltar para futebol argentino em 2020

Barcelona se empolga com desempenho de Haaland, mas desanima com seu preço