Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Ex-UFC, Leandro Buscapé luta na República Tcheca por estabilidade no MMA

Com passagens por vários eventos, lutador brasileiro quer mostrar boa sequência no Oktagon MMA

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Divulgação/UFC

Leandro Buscapé é um exemplo de lutador veterano que teve passagens por vários eventos de ponta, mas jamais se estabilizou neles. O lutador, com passagens pro UFC, Pancrase, Titan FC, ACB, entre outros, agora tentará sua vida na República Tcheca.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram 

Buscapé terá pela frente o polonês Robert Bryczek neste sábado (9) no Oktagon MMA. Vindo de derrota recente no Pro FC, o paulista treinou na American Top Team (ATT) para se preparar melhor para o duelo do fim de semana.

“Meu oponente é um grande atleta, vem de sequência de bons resultados (sete vitórias consecutivas), e sei que irá tentar me colocar em situações de risco. Mas adoro desafios. Meus treinos aqui na ATT são ótimos. Treino com grandes lutadores, que estão nos melhores eventos do mundo. Aqui tenho um termômetro real do que posso render nas lutas e precisão no que tenho que melhorar. Estou confiante em retomar o caminho das vitórias”, afirmou o brasileiro.

Entre 2013 e 2016, Buscapé foi lutador do UFC, com três vitórias, quatro derrotas e um no-contest numa carreira de 23 vitórias e oito derrotas. O paulista culpou a falta de experiência na época em que esteve no Ultimate como fator para não ir bem na organização e se vê agora com mais maturidade para dar um novo gás em sua carreira.

“Comecei tarde, com 20 anos. Hoje, vejo que as coisas aconteceram muito rápido. Em seis anos, estava no TUF Brasil, não entrei na casa mas me chamaram para o UFC direto. Fiz uma luta, perdi e saí do UFC, mas voltei depois de cinco vitórias. Mas eu não estava pronto naquela época, não tinha estrutura psicológica e tinha ainda muito a evoluir. Hoje, sou muito mais experiente como atleta e pessoa. Sou um atleta melhor e sei que posso ser um dos melhores em qualquer organização em que eu lutar. Seja no UFC ou no Oktagon MMA”, comentou.

LEIA MAIS

Jon Jones ‘anuncia’ no Twitter nome de próximo rival no UFC

(Crédito da foto: Divulgação/UFC)

As melhores notícias de esportes, direto para você