Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Flamengo tem pior aproveitamento de um campeão da Libertadores desde 2015

Apesar do eletrizante título, campanha do Flamengo não foi numericamente brilhante

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

O Flamengo conquistou o título da Copa Libertadores 2019. Em jogo disputado no estádio Monumental “U”, em Lima, neste sábado (23), o Rubro-Negro conquistou o bicampeonato do certame ao vencer o River Plate por 2×1. Apesar do agônico título, com dois gols depois dos 40 minutos do segundo tempo, a campanha do clube não foi das mais brilhantes. Ao menos é o que dizem as estatísticas.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

O aproveitamento do Flamengo ao longo da competição foi de 61,5%. É o pior número desde 2015, quando o River Plate, adversário da final de 2019, conquistou o certame conquistando 52,3% de seus pontos. Nos últimos dez anos, o Mengão teve campanha apenas superior ao campeão de 2015 e ao de 2014 – o San Lorenzo.

O número de derrotas do Flamengo também chama atenção. Na campanha de treze jogos, foram três duelos em que o clube carioca foi superado. É o primeiro time que perde um trio de jogos desde o Atlético-MG, em 2013.

Também vale destacar alguns pontos que falam sobre o aproveitamento de pontos. Até 1993, a vitória valia dois, e não três, pontos. Por fim, em 2019, a Copa Libertadores da América passou por uma mudança significativa: a final em jogo único. Dessa maneira, da fase de grupos até a final, são “apenas” treze jogos, e não os catorze outrora habituais. Antes disso, apenas uma equipe fez outro número de jogos: o Estudiantes de la Plata em 2019, que passou pela fase preliminar.

Confira abaixo a lista de campeões por ano, com recordes (vitórias-empates-derrotas) e porcentagem de aproveitamento de pontos desde quando a vitória passou a valer três pontos no futebol:

2019: Flamengo – 7-3-3 – 61,5%
2018: River Plate – 7-6-1 – 64,2%
2017: Grêmio – 10-2-2 – 76,2%
2016: Nacional de Medellín: 10-3-1 – 78,5%
2015: River Plate: 5-7-2 – 52,3%
2014: San Lorenzo: 7-3-4 – 57,1%
2013: Atlético-MG: 9-2-3 – 69%
2012: Corinthians: 8-6-0 – 71,4%
2011: Santos: 7-6-1 – 64,2%
2010: Internacional: 8-3-3 – 64,2%
2009: Estudiantes: 10-3-3 (16) – 68,75%
2008: LDU: 5-5-4 – 47,6%
2007: Boca Juniors: 8-2-4 – 62%
2006: Internacional: 8-5-1 – 69%
2005: São Paulo: 9-4-1 – 78,5%
2004: Once Caldas: 6-7-1 – 59,5%
2003: Boca Juniors: 10-2-2 – 76,2%
2002: Olimpia: 8-3-3 – 64,2%
2001: Boca Juniors: 9-3-2 – 71,4%
2000: Boca Juniors: 7-4-3 – 59,5%
1999: Palmeiras: 7-2-5 – 54,7%
1998: Vasco da Gama: 8-4-2 – 66%
1997: Cruzeiro: 7-1-6 – 52,3%
1996: River Plate: 8-4-2 – 66,6%
1995: Grêmio: 8-4-2 – 66,6%
1994: Vélez Sarsfield: 6-5-3 – 54,7%

LEIA MAIS
Bruno Henrique comemora boa fase no Flamengo: “É o melhor momento da minha carreira”
Com seis gols no Galo em dois anos, Arrascaeta fala em três pontos antes de Atlético-MG x Flamengo
Comentarista compara ataque do Flamengo com Seleção de 1970: “Movimentação constante que confunde”

As melhores notícias de esportes, direto para você