Rodrigo Caio exalta Jorge Jesus, revela segredo do treinador e conta bastidores dos primeiros dias de trabalho

Zagueiro do Flamengo elogia método de trabalho de Jorge Jesus e lembra do início do português no clube

Junior Azevedo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina, fanático por futebol e torcedor do Londrina Esporte Clube

Crédito: Reprodução/YouTube

Em ótima fase no Flamengo, Rodrigo Caio foi o convidado do programa “Alê Oliveira Responde”, no canal “De Sola” do YouTube desta quinta-feira (28). Dentre vários assuntos, o zagueiro do Mengão rasgou elogios ao técnico Jorge Jesus e revelou segredos do método de trabalho do português.

“A intensidade dos treinamentos dele é diferente, a mentalidade que ele coloca no dia a dia é o fundamental. O mister foi o treinador que mais exigiu de mim na minha carreira.Ele faz com que a gente acredite nas ideias dele de uma forma muito natural. O treino dele é cobrança, é exigência muito grande e energia que te contagia, faz o jogador acreditar no que ele ta falando e fazer dentro de campo. Acredito que essa seja a grande diferença dele”, afirmou Rodrigo Caio.

“Também tenho que destacar o nível de jogadores que temos, não só tecnicamente, mas de compreensão, de entendimento tático e de experiência. Os jogadores tem personalidade vencedora e isso faz a diferença para um grande time. Mas, sem ele (Jorge Jesus) nós não teríamos alcançado todo esse sucesso e, principalmente, ter chegado a esse nível de futebol. Nós temos o melhor time coletivo do Brasil”, acrescentou o jogador.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Questionado sobre o difícil início de Jorge Jesus, o zagueiro Rodrigo Caio contou bastidores dos primeiros dias de trabalho do português. O jogador lembrou da estreia do treinador diante do Athletico Paranaense e do curto espaço de tempo com partidas decisivas da Copa do Brasil e Libertadores.

“A carga de treinamento dele no início foi muito forte, mais do que é hoje. Ele queria passar rapidamente o sua metodologia de trabalho e mostrar como gosta de jogar. Os primeiros sete dias dele foi dureza, treino em dois períodos e todos os dias com muita intensidade. Acabava os treinos, o que os jogadores mais queriam eram almoçar, tomar um banho e dormir, mas fez toda a diferença”, contou Rodrigo Caio.

“A grande dificuldade quando ele chegou, é que estávamos numa sequência de partidas decisivas pela Copa do Brasil e Libertadores. A estreia dele foi diante do Athletico Paranaense, e a gente só não tomou goleada muito pelos ensinamentos específicos dele naquela partida. Imagina se ele estreia com uma goleada? a imprensa ia cair matando”, revelou o zagueiro.

“Depois dessa sequência ele falou para o elenco que não imaginava que a competitividade do futebol brasileiro era tão grande. Ele revelou que as pessoas lá de fora tem uma ideia errada do que é jogado aqui. O Campeonato Brasileiro não é vendido da melhor forma para fora do país. Mas aos poucos tudo foi encaminhando e o time foi se encaixado e estamos no nosso ápice”, concluiu o jogador.

LEIA MAIS

Rodrigo Caio relembra de Fair Play diante do Corinthians nos tempos de São Paulo: “Não me arrependo”

Ídolo do Verdão, Marcos afirma que o Palmeiras está acomodado e exalta campanha do Flamengo