O inferno rubro-negro e “Fica Gabigol”: a festa dos torcedores do Flamengo

Torcedores do Flamengo fizeram a festa no Rio de Janeiro desde cedo

Luis Fernando Filho
Jornalista formado, 23 anos, e fanático pelo futebol bem jogado para além das quatro linhas.

Crédito: Reprodução/Flamengo

A festa dos torcedores do Flamengo após o título da Libertadores teve o ápice na manhã de domingo, na Avenida Presidente Vargas.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

A concentração de torcedores na Candelária, desde às 8h, fez do local o palco de comemorações especial dos flamenguistas.

Adultos, crianças e adolescentes se reuniram no centro do Rio de Janeiro pela mesma paixão: o Flamengo. 38 anos de espera por um domingo dedicado à comemoração da Libertadores.

Desde cedo, torcedores entoaram cânticos tradicionais da torcida flamenguista como, por exemplo, o hino do clube e a menção ao Mundial de 1981-conquistado pelo Flamengo.

Dessa forma, o torcedor criou o calvário rubro-negro no centro da cidade, o que demonstrou a satisfação da torcida com o título.

No caso da torcedora Aline Cabral, 38 anos, sua ida à comemoração na Presidente Vargas seguiu o longo cronograma desde a vitória diante do River Plate.

Segundo ela, após o resultado, ainda não tinha conseguido dormir e revelou os ânimos para continuar festejando o título.

“Como estou comemorando desde ontem (sábado) o título da Libertadores, ainda não descansei. Depois de 38 anos de espera, acho que eu mereço toda a comemoração possível”, afirma Aline.

A torcedora, no entanto, se deslocou de Duque de Caxias, Baixada Fluminense, até o centro do Rio de Janeiro, para acompanhar a festa rubro-negra que não tinha hora para acabar.

O clima no local era de alegria extrema entre os torcedores. Com direito à pirotecnia e instrumentos próprios das organizadas, o centro da cidade pintou-se de rubro-negro.

A festa dos torcedores do Flamengo não tem hora pra acabar

Posted by Torcedores.com on Sunday, November 24, 2019

A recepção dos torcedores aos jogadores do Flamengo

Quando marcava pouco mais de 12h, o trio elétrico com os jogadores do Flamengo chegou à Presidente Vargas. Gabigol puxou a fila com a taça da Libertadores.

A torcida logo entoou o cântico sobre o Mundial de 81: “3 a 0 ficou marcado na história”, gritavam, ao mesmo tempo que os jogadores do Flamengo seguiam a música.

Com a iminência de Flamengo e River se reencontrarem no Mundial, após 38 anos, a torcida flamenguista fez coro à lembrança gloriosa.

Além disso, outras frases emblemáticas foram puxadas pela torcida, entre elas o “Fica, Gabigol”.

Ainda sem saber o futuro no Flamengo, o atacante tem a possibilidade de negociar a estadia definitiva no clube.

Diante do coro puxado, Gabigol resolveu despistar e entoar outro cântico, desviando a pauta para outro assunto.

Gabigol é unanimidade para torcedora

Sobre a permanência do artilheiro flamenguista, Aline foi enfática ao implorar o “sim” de Gabigol em 2020.

“Ele (Gabigol) precisa renovar com o Flamengo. Aqui ele conquistou tudo e criou uma relação legal com os torcedores flamenguistas”, disse a torcedora.

A festa da torcida persistiu até perto das 16h, e se estendeu próximo á estátua de Zumbi dos Palmares, no final do trajeto.

Os elementos da festa foram muitos. O número gigantesco de torcedores que foram às ruas, os cânticos tradicionais da torcida rubro-negra e a paixão que só o flamenguista pode explicar- ou não.

LEIA MAIS: Do estádio lotado ao torcedor flamenguista solitário: como foi o ‘lado B’ da final no Maracanã

Com Brasileirão na mira, Gabigol chega à 5ª artilharia da carreira