Libertadores: conheça os possíveis transtornos que rodeiam o Monumental de Lima

Tendo em vista os protestos gerados pela crise política que assola o Chile, a partida final da competição foi transferida para o Peru

Robson Santos
Colaborador do Torcedores

Crédito: ANDINA/Universitario

Na tarde de ontem (5), em uma reunião organizada pela Conmebol com representantes do futebol brasileiro e argentino, ficou definido o palco da primeira final em jogo único da Copa Libertadores. Portanto, o local escolhido foi o estádio Monumental de Lima, considerado o maior da América do Sul, com capacidade para mais de 80 mil espectadores. Entretanto, o público que prestigiará o evento, precisará ficar atento sobre alguns problemas que rodeiam o estádio para evitar frustrações desnecessárias.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

ACESSO

A princípio, o Monumental de Lima é a casa do Universitario de Deportes, clube da primeira divisão do futebol peruano. O estádio está localizado no Distrito de Ate, cerca de 20 quilômetros do centro de Lima, capital do país. No entanto, um dos problemas do palco da final da Libertadores está relacionado, justamente, ao acesso. Certamente, porque a avenida Javier Prado Este é a única via que dá ingresso ao estádio, gerando uma alta demanda em eventos. De acordo com o portal Clarín, nos horários de pico em dias normais, o trajeto pode durar em torno de duas horas e meia a três para ser concluído. Então, imagina na maior final do futebol do continente?

Monumental

CAPACIDADE PARA A FINAL

O estádio Monumental de Lima tem a capacidade exata de 80.093 pessoas e, talvez, esse ponto tenha contribuído na escolha para sediar o evento. Porém, o público para a final de Copa Libertadores poderá ser de apenas 59 mil espectadores. “Normalmente, para os eventos que temos as autorizações, são 59 mil pessoas, com os 10% que nos pedem a lei. Isso inclui as duas tribunas, norte e sul, para 27 mil pessoas, com 13,5 mil para cada uma. Setor Oriente para 14 mil, Ocidente, 12,5 mil, e camarotes 5,5 mil”, relatou o administrador do Universitario, Raúl Leguía.

Ainda de acordo com Raúl, esse total pode ser ainda menor. Tendo em vista, o fato de que os camarotes são de propriedade particular. “Há uma associação dos proprietários dos camarotes. São donos deles para qualquer evento. Nós somos responsáveis por tudo o que é arquibancada, uns 53 mil e tanto. Esse tema dos camarotes, vamos ver os detalhes com a Conmebol nesta quarta-feira como vamos fazer”, explicou Leguía.

ILUMINAÇÃO

Por fim, de acordo com internautas, outro ponto que causa desconforto aos espectadores é a iluminação insuficiente do estádio Monumental. Contudo, isso não deverá ser um problema, já que a partida está marcada para ter início às 15h do horário local. Porém, se houver algum tipo de atraso ou prolongamento, que seja necessário a utilização dos refletores, o torcedor já deve ficar ciente.

A princípio, a final da Copa Libertadores entre Flamengo e River Plate foi transferida à capital do Peru, tendo em vista a crise política que atravessa o Chile, gerando diversos protestos. Antes da mudança, o jogo estava previsto para ser realizado no Estádio Nacional de Chile, em Santiago.

Leia mais:

Após mudança na Libertadores, Procon orienta torcedores sobre direitos