Muito antes da Libertadores, Flamengo e River medem forças há décadas no PI

Rivalidade entre times homônimos aos finalistas da Libertadores ocorre desde 1948. Flamengo e River Plate disputam final da Libertadores neste sábado (23)

Jéssica De Paula Alves
Jornalista amapaense migrada em Belo Horizonte (MG). Nascida em março de 1990, é gremista e adora esportes desde a infância. Faixa branca em jiu-jitsu, também é fã de rock e ama unir suas paixões.

Crédito: Divulgação/River

Todas as atenções do futebol sul-americano se concentrarão no duelo entre Flamengo e River Plate, neste sábado (23), em Lima, no Peru. O confronto vale o título da Libertadores 2019 e os clubes do Brasil e Argentina medem forças para quem será a levantar a taça.

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Mas muito antes desde aguardado jogo, Flamengo e River já é sinônimo de um grande clássico no Piauí. Trata-se do “Rivengo” que existe desde 1948 e e divide torcedores de várias gerações. Com a coincidência dos clubes xarás estarem disputando a final da Libertadores, as atenções se voltaram para o duelo local.

O Flamengo-PI, que foi fundado em 1937, foi totalmente inspirado no rubro-negro carioca, com as mesmas cores, uniformes e apenas o nome do Estado acrescido ao escudo. Já o River-PI, em 1946, aderiu à faixa transversal na camisa semelhante ao clube argentino. Sendo fundado na mesma região, o “Rivengo” se tornou a maior rivalidade no local.

“Olha, com certeza é um dos principais jogos no Piauí. Quando eu era criança (há mais ou menos uns 15 anos atrás), semana de Rivengo era sempre interessante, com os jornais destacando os jogos, com o estádio lotado (minha avó mora praticamente do lado do Albertão, o maior estádio do estado) e com muita gente engajada. Os jogos eram sempre equilibrados. Por mais que existisse o Piauí EC, outro time de Teresina, River e Flamengo era sempre o marco da cidade. Já decidiram várias vezes o campeonato, representaram o Piauí nas competições nacionais como a Copa do Brasil e às vezes faziam boas campanhas na Série C (quando não existia a Série D ainda)”, destacou o torcedor Roney Lira, que se diz neutro em relação ao clássico.

Crise

Considerado o maior clássico do Piauí. Em 1970, o “Rivengo” chegou a levar 100 mil pessoas em três jogos, contudo, hoje não passa dos 2.000 nos estádios. Isto, ocorre por causa da situação financeira dos clubes, que diferente dos homônimos finalistas da Libertadores, vivem dificuldades econômicas

“O clássico Rivengo pelo que meu pai diz teve seu auge na década de 80. Época de Sima( Simão teles Bacelar) chamado o Pelé do nordeste. No auge no do clássico movimentava cerca de 30000 torcedores nos jogos e hoje em dia e o clássico leva ao estádio no máximo umas 3000 pessoas. Há crises financeiras dos dois clubes. Resultado também do não acesso dos clubes a divisões mais acima”, detalhou o torcedor do River, Roberson Costa.

Assim, a realidade do Flamengo-PI pe bem diferente do “gêmeo” carioca. Enquanto o Flamengo investiu cerca de R$ 200 milhões em reforços para esta temporada, os piauienses estão com os cofres vazios. Com isso, teve de vender sua sede para uma rede de supermercados, mas a transação ainda é questionada judicialmente.

River domina

Ao menos no Rivengo do Piauí, a superioridade é do clube de inspiração “argentina”. Em 358 encontros, são 136 vitórias do River, 109 empates e 105 triunfos do Fla. Em termos de conquistas, nova vantagem: 31 títulos contra 15 dos rubro-negros. Mas para ao menos neste jogo de sábado, torcedores do Flamengo esperam que o triunfo seja rubro-negro.

LEIA MAIS

O que o Flamengo precisa fazer para ser campeão duas vezes no mesmo final de semana?