Renato comemora Grêmio no G-4, mas alerta: “Não nos entregamos como deveríamos”

O Grêmio venceu o CSA, na Arena, nos minutos finais do jogo

Luis Fernando Filho
Jornalista formado, 23 anos, e fanático pelo futebol bem jogado para além das quatro linhas. Twitter: @luisfernanfilho/Insta: @luisfrrs

Crédito: Foto: Eduardo Moura/GE.com

Após a vitória gremista na noite de quinta-feira, por 2 a 1, diante do CSA, Renato Portaluppi destacou a importância do triunfo na Arena.

Futebol de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!

Como resultado, o gol contra de Bruno Alves nos minutos finais devolveu o Grêmio ao tão sonhado G-4, inclusive, à frente do maior adversário na luta, o São Paulo.

Durante a entrevista coletiva, Renato reiterou a importância dos jogadores manterem o foco no jogo durante os 90 minutos. Aliás, o jogo parecia controlado, quando o CSA empatou já no final da partida.

“Já tinha percebido desde o primeiro tempo. Tanto que dei um esporro neles (jogadores). E no intervalo dei outro. Não nos entregamos como deveríamos”, afirmou

A frase do técnico gremista resumiu bem um certo relaxamento do Grêmio, após o gol no início do jogo, aos 12, e que manteve o time menos combativo durante o restando do duelo.

“Quase deixamos escapar de ingressar no G-4. Eles (CSA) estão dando a vida. Não podemos perder em casa, são pontos irrecuperáveis, que sirva de lição. Mas o mais importante é que conseguimos os três pontos”, destacou o técnico do Grêmio.

Renato pede foco para manter o time no G-4

A sensação na Arena do Grêmio, durante a segunda etapa, era de que o clube poderia sofrer o empate a qualquer momento. Quando Rafinha empatou para os alagoanos, o tropeço gremista parecia óbvio.

Na visão de Renato, o jogo de ontem serviu para que todo o grupo siga entregando o máximo dentro de campo e, mais importante, mantenha o foco total, a exemplo do Grenal.

“Meu grupo é inteligente, ele já absorveu. Eles sabem que não tiveram foco suficiente. Não são todos jogadores. Mas o foco que tivemos contra o Internacional (no último domingo) não tivemos hoje. Quase custou caro. O exemplo é uma crítica construtiva. Se acontecer de novo, os adversários podem não perdoar a gente”, avisou.

LEIA MAIS: Talles Magno não joga mais o Mundial sub-17; entenda

Comentarista espanhol compara Rodrygo a Messi; assista