Rodrigo Caio relembra de Fair Play diante do Corinthians nos tempos de São Paulo: “Não me arrependo”

Zagueiro comentou em entrevista que não se arrepende do lance de Fair Play com o Jô no clássico majestoso em 2017

Junior Azevedo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina, fanático por futebol e torcedor do Londrina Esporte Clube

Crédito: Foto: Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians

Atualmente no Flamengo, Rodrigo Caio teve uma saída conturbada do São Paulo, clube no qual foi revelado. Muito da polêmica saída do jogador parte de um lance de Fair Play no clássico majestoso diante do Corinthians no Campeonato Paulista de 2017. Na ocasião, o zagueiro se enroscou numa jogada com o atacante Jô, e trombou com Jean, goleiro são-paulino.

Cartão de crédito sem anuidade? Abra sua conta Meu BMG agora!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

O árbitro Luiz Flávio de Oliveira marcou falta e deu cartão amarelo para o atacante do Timão, portanto, Rodrigo Caio chegou até o juiz e assumiu a culpa. O juiz da partida anulou o cartão de Jô, que o deixaria suspenso da próxima partida, e o zagueiro foi detonado pela torcida tricolor.

Em participação no programa “Alê Oliveira Responde” do canal “De Sola”, do YouTube, Rodrigo Caio relembrou do lance que motivou a sua saída do São Paulo. O zagueiro afirmou que não se arrepende e que não teme divergências de opiniões . O jogador também comentou que lances como esse, hoje, com o VAR, são praticamente impossíveis de acontecer.

“Foi uma coisa que aconteceu e não me arrependo nenhum pouco do que fiz, claro que o lance tem uma divergência de opiniões, muito grande. Mas cada um encara da melhor forma, do que pensa ou do que acredita. E uma coisa que deixei bem claro na época, quem faz ou quem não faz, não é do sentimento de cada um na paz interior e eu acho isso muito importante na nossa vida, fazer o que acredita e o que e certo”, afirmou Rodrigo Caio.

“Hoje temos o VAR, aí muda tudo. Acho que não precisa mais de ninguém falar o que foi ou que não foi. Agora, a única coisa que eu posso falar é que não me arrependo. Ali foi um momento muito natural, bem espontâneo e depois segui a minha vida e só fui entender depois que vi toda a repercussão que deu”, acrescentou o jogador.

RELEMBRA O LANCE

LEIA MAIS

Ídolo do Verdão, Marcos afirma que o Palmeiras está acomodado e exalta campanha do Flamengo

Neto detona ano do trio de ferro de São Paulo: “Eles estão felizes por que conquistaram uma vaga na Libertadores”