Com show de Lorenne, São Paulo/Barueri faz história, vira sobre o Osasco, e é campeão paulista pela primeira vez

Empurrado pela torcida, o Osasco começou arrasador e logo abriu 2 x 0 de vantagem. Mas o São Paulo/Barueri calou o caldeirão do José Liberatti, com os ataques certeiros de Lorenne, e o excelente volume de jogo

Andressa Fischer
Gaúcha, 21 anos. Vôlei | Futebol Gaúcho | Flamengo

Foto: João Pires/Fotojump

Após ser derrotado no primeiro jogo da final, o Osasco precisava da vitória diante do seu torcedor nesta sexta (08) para voltar a conquistar o título paulista. As coisas começaram muito bem para o time de Luizomar de Moura.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique aqui e se inscreva!

Camila Brait e Jaqueline davam show no fundo de quadra, e deixavam o trabalho da levantadora mais fácil para poder distribuir para as atacantes fazerem buraco na quadra adversária. E junto com a cubana Casanova, a bicampeã olímpica foi o principal desafogo da equipe osasquense na partida.

Quem também se destacou pelo lado osasquense, foi Mara. A central levantou um muro no lugar da rede, mandando descer as principais armas baruerienses, e saiu de quadra com 17 pontos, sendo 7 apenas de bloqueio.

Mas do outro lado tinha nada mais, e nada menos, que Lorenne. Destaque da seleção brasileira em 2019, e MVP do Sul-Americano vencido pelo Brasil, em Cajamarca, no Peru, disputado no final de agosto.

A oposta saiu de quadra como a maior pontuadora do confronto com incríveis 28 pontos: 26 ataques, um bloqueio e um ace. E com essa eficiência, liderou as são paulinas em uma virada história sobre a equipe da casa, saindo de uma desvantagem de 2 x 0 para levar o São Paulo/Barueri a ser campeão paulista pela primeira vez na história.

Osasco 2×3 São Paulo/Barueri (22/25, 20/25, 26/24, 25/22 e 15/11)

Osasco-Audax: Roberta (2), Casanova (24), Bjelica (8), Jaque (16), Mara (17), Bia (11) e a líbero Camila Brait. Técnico: Luizomar de Moura. Entraram: Kika, Pri Heldes (1), Vanessa Janke (1).

São Paulo/Barueri: Juma (7), Diana (1), Maira (10), Tai Santos (9), Mayany (16), Lorenne (28) e a líbero Nyeme. Técnico: José Roberto Guimarães. Entraram: Dani Terra, Jacke, Kisy (2), Lays (7).

LEIA MAIS

Inseparáveis, Mari e Paula Pequeno miram Paris-2024: “principal objetivo”