Inter: À rádio peruana, dirigente do Boca vê dificuldades em contratação de Guerrero

Os salários do atacante colorado seriam o principal motivo que pode fazer o time argentino não investir em Guerrero

Victor Martins
Um homem que acredita ser jornalista, escritor e 'chato'. Decidam vocês qual será a opção escolhida.Formado na Universidade Metodista de São Paulo. No Torcedores desde 2016 ou algo parecido.

Crédito: Reprodução/Inter

Paolo Guerrero é um dos jogadores com o qual o Boca Juniors espera contar em 2020. Mas o atacante pode acabar ficando no Colorado, com o time argentino admitindo dificuldades em concretizar tal negociação.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram 

Em entrevista à Rádio Fiesta, Jorge Bermúdez, parte do conselho de futebol xeneize, declarou que as negociações para ter o atacante peruano esfriando devido aos altos salários recebidos pelo jogador, que estão acima dos valores com os quais o Boca poderia arcar. Guerrero recebe cerca de R$ 800 mil de salários na equipe gaúcha.

“A questão financeira é algo delicado. É um jogador com um contrato importantíssimo, Guerrero nos interessa e queremos contar com ele. Mas as possibilidades têm que condizer com nossa realidade, porque uma coisa é dizer ‘eu quero ir, mas me paguem mais do que quero’ e outra é querer ir e ter que se adequar à situação daquele que quer pagar. Não acho que seja o que Paolo quer. Ele está numa idade em que ninguém quer ceder um centavo e muito menos com os méritos que ele tem na carreira.  Não é fácil”, relatou o ex-zagueiro.

O desejo do Inter é de que Guerrero fique na equipe, observando com atenção as sondagens do time de La Bombonera. Juan Román Riquelme, homem forte do futebol do Boca, é quem cuida da negociação, que já é vista como ‘difícil’ pelos argentinos.

LEIA MAIS

Alvo do Boca, Guerrero expressa desejo para a temporada de 2020: “Quero ficar no Inter”

 

(Crédito da foto: Reprodução/Inter)