Mizael Conrado, Presidente do CPB, acumula feitos na carreira

Eleito o melhor do mundo em 1998, Mizael Conrado agora preside o Comitê Paralímpico Brasileiro. E acumulou uma vasta trajetória até o posto

Danilo Lacalle
Jornalista de formação, e atleta por opção. Especialista em esportes americanos e apaixonado por esportes radicais.

Crédito: Reprodução/Twitter

Mizael Conrado foi eleito o melhor jogador do mundo de futebol de 5 em 1998. E, além disso, fez parte dos dois primeiros títulos paralímpicos do Brasil, em Atenas-2004 e Pequim-2008.

Os novos caminhos do esporte no Brasil estarão no Summit Sportlab. Inscreva-se já!

Já conhece nosso Instagram? Então segue a gente lá!

Conheça a TV Torcedores, nosso canal no Youtube!

Nascido em Santo André, em  3 de novembro de 1977, Mizael Conrado de Oliveira nasceu cego devido a uma catarata congênita. Ainda bebê, foi submetido a quatro cirurgias. Com isso, começou a enxergar. Aos nove, teve um descolamento de retina. Fator que foi fundamental para sua então perda de visão. A doença foi se intensificando aos poucos e, aos 13 anos, estava completamente cego.

Foi no Instituto Padre Chico, escola especial para deficientes visuais, onde Mizael teve seu primeiro contato com o futebol de 5. Cresceu no esporte e foi para a seleção brasileira. Com ela, veio seu primeiro título: foi campeão latino-americano de 1994. Quatro anos depois, Mizael se tornaria o melhor jogador do mundo no futebol de 5.

Mizael e a seleção

Seu currículo na seleção é pesado. Além do campeonato de 94, Conrado foi tricampeão da Copa América (1997, 2001 e 2003), campeão mundial sub-25 (2002), bicampeão mundial (1988 e 2000) e bicampeão paralímpico (2004 e 2008).

Não quis manter seu legado apenas jogando. Se formou em direito pela Universidade Cidade de São Paulo. Após se aposentar do esporte, foi diretor administrativo e presidente do Centro de Emancipação Social e Esportiva de Cegos (CESEC). Foi também secretário-executivo da Confederação Brasileira de Desportos para Cegos (CBDC). Além de membro do Comitê Executivo da União Mundial de Cegos e da União Latino-Americana dos Cegos. E não parou por ai. Mizael assumiu o posto, também, de Vice-Presidente da Federação Brasileira de Entidades para Cegos e secretário-geral da União Brasileira de Cegos.

Assumiu, em março de 2017, a presidência do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Entre 2009 e 2017, exerceu a função de vice-presidente e secretário-geral da entidade durante as gestões de Andrew Parsons. Atualmente, Mizael também ocupa o posto de vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil de São Paulo (OAB-SP). Foi, ainda, peça-chave na aprovação da Lei de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Esta elimina barreiras de acessibilidade no transporte, na moradia, nos serviços, na educação, no esporte, no exercício da cidadania e beneficia cerca de 50 milhões de brasileiros com algum tipo de deficiência e mobilidade reduzida.

LEIA MAIS

Fabiana Bentes fala sobre desafios de gestão esportiva e V Prêmio Sou do Esporte

Luiz Paulo Moura, da Sportlab, comenta o impacto do esporte para a sociedade e objetivos do Summit