Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Presidente do Boca Juniors confirma reunião sobre saída de De Rossi: “Vamos avaliar a situação”

Com a chegada de Riquelme, nenhum jogador está seguro, e mandatário Ameal não está convencido do ex-meia da Roma: “Vamos rever o contrato”

Manoel Rodrigues
Meu nome é Manoel Rodrigues. Gosto muito de falar e escrever sobre futebol nacional e internacional, esportes americanos, vôlei, MMA e outros. Mas acima de tudo, sou alguém que é guiado por Deus e deseja levar o reino de Deus a todas as áreas da sociedade. Esse pode ser um canal para isso.

Crédito: Twitter Oficial Boca Juniors

A liderança de Riquelme, agora como vice-presidente do Boca Juniors, deve trazer uma revolução dentro do clube. Com a entrada do presidente Jorge Ameal, nenhum jogador está seguro, a partir de Daniele De Rossi.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Segundo o jornal ‘Olé’, e conforme publicado na Itália pelo ‘Corriere dello Sport’, o novo Boca não se convenceu da força física do italiano, que durante a temporada sofreu com diversos problemas musculares, permitindo-o jogar apenas sete partidas.

Neste momento, De Rossi está em férias com a sua esposa e filhas, em Roma. Sua volta a Buenos Aires está prevista para o dia 3 de janeiro, e ele deve conversar com o presidente Ameal e o vice Riquelme.

O seu futuro será decidido nas próximas semanas, mas se até há pouco tempo a sua renovação era apenas uma questão de formalidade, agora De Rossi corre o risco de terminar a sua aventura na Argentina em março.

Ele está treinando em Roma, em uma academia na Viale Parioli. A confirmação da informação ao ‘Olé’ vem diretamente do presidente do Boca: “Nós não sabemos o que De Rossi fará, se ele ficar, se ele continuar jogando… Temos de ver muitas coisas. Alguém o trouxe e o fez vir a este clube e agora ele não sabe. Sabemos se ele também se sentirá à vontade conosco. E revisaremos o contrato de qualquer maneira”.

LEIA MAIS

Riquelme elenca os três times brasileiros mais perigosos da Copa Libertadores

Contrato com a Nike se aproxima do fim e Boca vestirá Adidas a partir de janeiro