A Bandeira do Elefante e da Arara: RPG busca financiamento para game

O popular RPG brasileiro A Bandeira do Elefante e da Arara poderá se tornar um game através de financiamento coletivo. Saiba mais

Gisele Henriques
MBA em Administração e Marketing, Pós Graduada em Jornalismo Esportivo, graduada em Licenciatura em Artes Visuais, Tecnologia em Marketing e Bacharelado em Administração, é graduanda de Direito e de Jornalismo.

Crédito: Imagem Divulgação

A Bandeira do Elefante e da Arara, RPG ambientado em uma versão fantástica do período colonial brasileiro que se tornou um dos mais populares e premiados do Brasil, pretende ganhar uma versão game para PC, através de uma campanha de financiamento coletivo no Catarse.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Confira também: Cinco melhores jogos grátis para PC; veja a lista neste link

A Bandeira do Elefante e da Arara nasceu com contos, posteriormente sendo convertido para romances e HQs. A série original foi traduzida para sete idiomas, alcançando mais de 100 mil leitores. Tornou-se também um RPG de mesa com sucesso internacional, com sete títulos lançados, tendo milhares de jogadores no Brasil, além de ter sido lançado recentemente em inglês, em 2020 ganhará versões em espanhol e chinês, sendo o único RPG nacional a receber nos EUA o prêmio ENnie, um dos maiores do RPG, foi finalista do Jabuti e indicado a diversas outras premiações.

A versão game se chamará A Bandeira do Elefante e da Arara: Três Reinos. O enredo conta a história de Baltasar, um jovem português em busca de aventuras e redenção nas terras inexploradas da colônia. Seu caminho acaba se cruzando com um touro negro, uma tribo de guerreiras indígenas e uma entidade ancestral, em um conflito que mudará para sempre o destino do novo continente. O jogador forma então um grupo de até quatro personagens para desbravar a região entre Olinda e São José do Maranhão.

O game está sendo desenvolvido pelo Time Galleon Studio, formado para o projeto, que possui no elenco: Christopher Kastensmidt, criador do universo do RPG, ex-diretor criativo da Ubisoft, autor premiado e indicado ao prêmio Nebula, um dos maiores da ficção internacional, o produtor Pablo Abraham (Zueira Never Ends), os roteiristas Marcelo Cortez (Bubu Fun, Starlit Adventures) e Tiago Rech (The Path of Calydra e Galaxy of Pen and Paper), o game artist Matheus Oliveira (My Boo, Decor Dream, Bid Wars e Bid Wars Pawn Empire), e o diretor de arte Fred Rubim, quadrinista premiado e autor de obras como Cão Negro, O Matrimônio de Céu & Inferno e O Horror de Dunwich, entre outros.

A Bandeira do Elefante e da Arara: Três Reinos será lançado entre o final de 2020 e o início de 2021 para PC, com planos para uma versão mobile. O jogo terá uma demo disponível ao público ainda em dezembro. 

LEIA MAIS:

BGS 2019: ED BOON DIZ QUERER KEANU REEVES EM MK E EXPLICA ESCOLHAS

MEU GAME FAVORITO: TORCEDORES LISTA GRANDES JOGOS DE TODOS OS TEMPOS

ANÁLISE: GHOST RECON: BREAKPOINT TEM DIVERSOS DESAFIOS A SUPERAR