TV chinesa cancela transmissão de jogo por causa de comentário de Özil

CCTV transmitiria a partida entre Arsenal e Manchester City. Mas cancelou depois que Mesut Özil criticou o governo chinês em relação aos muçulmanos ulgires

Aécio de Paula
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução: Instagram/ Mesut Ozil

A TV estatal da China cancelou a transmissão da partida entre Arsenal e Manchester City pela Premier League, neste domingo (14). Mas o motivo chamou mais atenção do que o cancelamento. A CCTV disse que a troca do jogo aconteceu em retaliação ao jogador Mesut Özil, do Arsenal. O atleta tinha usado as redes sociais para criticar a relação da China com o muçulmanos ulgires.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Futebol de graça e ao vivo por 1 mês? Conheça o DAZN Brasil!

Você conhece o canal do Torcedores no Youtube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“(Na China) Alcorões são queimados, mesquitas são fechadas, escolas teológicas islâmicas também, madraças (escolas muçulmanas) são banidas, estudantes são mortos, um por um. Apesar disso, os muçulmanos permanecem quietos”, postou Özil em seu Twitter. Vale lembrar que Özil é muçulmano.

O comentário repercutiu com muita força na imprensa chinesa. Para se ter uma ideia, o jornal chinês Global Times publicou uma matéria com o título “Özil, você é pior do que Morey!”. Morey é Daryl Morey. Ele é gerente do time do Houston Rockets, da NBA. Há alguns meses, ele tinha manifestado apoio aos manifestantes de Hong Kong, que lutavam contra o governo chinês. Morey virou peça central de uma polêmica que durou semanas.

Relações complicadas

O protagonista da polêmica deixou de ser Morey e passou a ser Özil. Isso tem implicações muito fortes. Acontece que o Arsenal tem relações comerciais muito estreitas com a China. A equipe até abriu um restaurante em Xangai em 2018. Portanto, diante da repercussão nas redes sociais, o clube decidiu se manifestar.

“O assunto expressado é totalmente a opinião de Özil. Como clube de futebol, o Arsenal tem um princípio de não se envolver em política”, disse o clube em um comunicado. Este comunicado foi divulgado em chinês no Weibo, uma rede social chinesa.

Entenda

Os uigires são uma minoria muçulmana que tem um histórico de conflito com o governo federal da China. Grupos de defesa dos direitos humanos dizem que cerca de um milhão deles foram detidos em campos de alta segurança. Ainda de acordo com os grupos de direitos humanos, eles teriam sido presos sem nenhum tipo de julgamento. A China se defende dizendo que tratam-se de centros de treinamento vocacionais. De acordo com o país, a ideia é combater o “extremismo religioso violento”.

Mas ativistas dizem ainda que o estado chinês reprime violentamente atividades e práticas comerciais, religiosas e culturais dos uigires.

De acordo com o analista da BBC, Robin Brant, esta situação é um pouco diferente da ocorrida no caso do NBA. Isso porque, segundo ele, todo mundo comprou a briga do Morey contra a China. Agora, a própria reação do Arsenal enquanto clube mostra que Özil pode estar isolado. Ainda de acordo com o analista, os dirigentes da Premier League não estão dispostos a entrar em uma guerra diplomática com os chineses, que são grandes parceiros comerciais.

“Qualquer dano duradouro aqui provavelmente será sofrido por ele (Özil) pessoalmente. Embora também haja elogios e apoio. Você simplesmente não ouvirá isso na mídia estatal chinesa.  Como resultado, as empresas chinesas suspenderam acordos de patrocínio e transmissão”, disse Brant.

LEIA MAIS

China lança o selo especial Jogos Olímpicos de Inverno de 2022