Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Felipão admite ter “jogado a toalha” no intervalo do 7 a 1 e revela o que falou no vestiário do Mineirão

Felipão ainda falou sobre o momento atual da seleção brasileira sob o comando do técnico Tite e sobre o Flamengo do português Jorge Jesus

Danielle Barbosa
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Robert Cianflone/Getty Images

A eliminação vexatória do Brasil para a Alemanha na semifinal da Copa do Mundo de 2014, disputada em solo brasileiro, segue sendo assunto nas entrevistas de personagens que participaram direta e indiretamente daquela goleada de 7 a 1 no estádio Mineirão, em Belo Horizonte. Em entrevista ao site Yellow and Green Football, Felipão, técnico da seleção brasileira naquela oportunidade, relembrou a conversa que teve com os jogadores no intervalo da partida, quando os alemães já venciam por 5 a 0.

Cartão de crédito sem anuidade? Abra sua conta Meu BMG agora!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“No intervalo, eu disse: Assumam posições defensivas de organização tática, com calma, porque não é possível virar um 5 a 0 em um jogo internacional. Posicionamentos, correções, vamos ver se conseguimos deixar mais equilibrado. Já foi. Infelizmente, aconteceu. Todos têm que assumir a sua responsabilidade e é isso”, recordou Felipão.

O treinador ainda negou que tenha pensando em aposentadoria após a eliminação na Copa do Mundo, a derrota para a Holanda na disputa pelo terceiro lugar no Mundial e a consequente demissão do cargo após o término da competição. “Não (pensei em aposentadoria). Eu só queria me organizar”.

SELEÇÃO ATUAL:

— Acho que estão indo na direção certa, porque estão trabalhando, têm organização, se identificam com o projeto que acham ser o correto. Se a diretoria, o treinador, o staff pensam que esta é a direção certa, como alguém de fora pode dizer que estão errados? Eles sabem melhor. Eles estão fazendo o próprio caminho.

JORGE JESUS E FLAMENGO:

— Eles estão organizados, e fizeram uma grande campanha. Jorge Jesus os organizou de uma forma que os jogadores se encaixaram naquele sistema. É difícil encontrar um time no Brasil que seja semelhante.

— O campeonato é longo, tem muitas dificuldades no Brasil. Eles não vão atravessar a temporada facilmente. Mas eles estão em excelente forma. Diferentemente de qualquer outro time nos últimos 15 anos no Brasil. Eles ainda estão jogando com confiança, objetividade, seriedade. Isso é importante. O mérito é da direção, do Jorge Jesus e seus auxiliares, e dos jogadores, que tiveram este entendimento e estão no caminho certo.

LEIA MAIS:
Palmeiras: Felipão relembra ameaças de morte: “São corajosos em grupo”
Fred lembra Copa de 2014 abaixo do esperado e admite ter sido um ‘cone’: “Não tem como apagar”