12 anos de NBB e a retomada do basquete nacional profissional

Desde 2008, proposta do NBB em recuperar nível do basquete nacional foi eficaz e contou com grande apoio do público nos ginásios

Luis Feitosa
Jornalista graduado e amante de futebol e futebol americano

Crédito: Fotojump/LNB

O NBB, Novo Basquete Brasil, se comprovou um verdadeiro sucesso no país. Em 12 anos de existência, o campeonato cumpriu o objetivo ao qual foi idealizado e entrega qualidade de jogo aos clubes, seleções e para quem acompanha um dos principais esportes nacionais.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Em 2008, uma série de clubes se juntaram para criar a Liga Nacional de Basquete. Os idealizadores visavam organizar um campeonato justo e que elevasse o desempenho do basquete nacional que havia enfrentado problemas desde o início do século. A principal inspiração para a criação do NBB era a proposta que deu certo e faz da NBA a 70 anos a principal liga do mundo. Por isso, uma temporada interessante e que tivesse os moldes do campeonato dos Estados Unidos seria fundamental para a viabilidade do jogo.

Inicialmente, a liga foi criada com 17 clubes e que hoje somam mais de 30 equipes que já participaram do campeonato. Os anos seguintes trouxeram algumas recompensas para o que o NBB era proposto: um jogo que tinha bom nível de desempenho, a torcida que crescia cada vez mais e equipes interessadas em aderir a disputa. Com isso, o campeonato passou a ser fundamental para a retomada do esporte no Brasil e entregar a quem acompanhava um duelo que trouxesse cada vez mais gente.

Com o Flamengo sendo campeão da primeira edição, o NBB passou a ser cada vez mais interessante ao público. Fora do campeonato, a liga conseguiu recuperar algumas das ações criadas pela NBA e que poderiam ser exploradas no Brasil. O Jogo das Estrelas foi a principal ação e que buscava reunir os melhores jogadores do NBB para apresentarem seus talentos em um torneio de habilidades e a disputa de um jogo entre eles. Além disso, uma liga de desenvolvimento trouxe clubes que buscassem o sonhado acesso à elite nacional para se enfrentarem e se adequarem ao funcionamento da liga.

O bom trabalho feito rendeu a liga inúmeras parcerias como o apoio do principal banco público do Brasil e o interesse de emissoras em transmitir os jogos. Apesar do projeto funcionar, o NBB busca renovação e o aprimoramento para atrair novidades e inovações para o campeonato. A sonhada retomada do basquete nacional aconteceu e funcionou da melhor forma possível.

LEIA MAIS:

Ex-pivô defende mais investimentos para Brasil retomar auge no basquete: “Má gestão”

NBA espera que mais de 70% das equipes já tenham retornado aos treinos até a próxima segunda (18)

Pré-Olímpico de basquete: datas são anunciadas pela FIBA