Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Atacante da Série C, jogadores sub-23 e mais: relembre a convocação “aleatória” do Brasil para a Copa das Confederações de 1999

Roni, que estava no Fluminense, esteve no elenco e fez gol na final

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016, radialista na Paiquerê 91,7.

Crédito: Reprodução/TV Globo

A Seleção Brasileira era uma das mais fortes do fim da década de 90 e contava com jogadores importantes como Cafu, Aldair, Roberto Carlos, Rivaldo, Ronaldo, Amoroso e companhia, mas esqueça esses nomes. O elenco convocado por Vanderlei Luxemburgo para a Copa das Confederações de 1999 foi muito diferente.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes
https://www.facebook.com/TorcedoresOficial

O Brasil havia acabado de conquistar a Copa América sobre o Uruguai e poucos dias depois teria a Copa das Confederações, no México, o que motivou Luxemburgo a fazer testes. Dos titulares na conquista, apenas cinco estiveram na convocação para o torneio da FIFA.

Os grandes nomes da Seleção, especialmente do setor ofensivo, saíram de férias e o treinador resolveu dar oportunidades a outros nomes.

O atacante Roni, destaque do Fluminense na Série C do Brasileirão, foi uma das novidades. Além dele, jogadores como Marcos Paulo, do Cruzeiro, Athirson, do Flamengo, e Warley, do São Paulo ganharam vaga na convocação.

Relembre abaixo a convocação da Seleção Brasileira para a Copa das Confederações de 1999:

Goleiros
Dida – Corinthians
Marcos – Palmeiras

Laterais
Athirson – Flamengo
Serginho – Milan
Evanílson – Borussia Dortmund

Zagueiros
João Carlos – Corinthians
Odvan – Vasco
César – PSG
Luiz Alberto – Flamengo

Meio-campistas
Vampeta – Corinthians
Emerson – Bayer Leverkusen
Flavio Conceição – Deportivo La Coruña
Marcos Paulo – Cruzeiro
Zé Roberto – Bayer Leverkusen
Beto – Flamengo
Alex – Palmeiras

Atacantes
Ronaldinho – Grêmio
Christian – PSG
Roni – Fluminense
Warley – São Paulo

O Brasil para o México por 4 a 3 na decisão. Os gols da Seleção foram marcados por Serginho, de pênalti, Roni e Zé Roberto.

Assista ao quarto gol do México na final:

View this post on Instagram

O DIA DA EMANCIPAÇÃO DO MÉXICO NOS GRAMADOS O México sempre foi uma seleção secundária em questão de força internacional, mas sempre dominou a Concacaf com títulos da Copa Ouro e vitórias sobre o principal rival, os Estados Unidos. Mas em 1999, na Copa das Confederações, a seleção local conseguiu aquela que foi, para muitos, sua emancipação em campo. É de conhecimento geral que o Brasil sempre teve dificuldades contra o México, mas isso se tornou latente na decisão do torneio, para 110 mil pessoas no Estádio Azteca, e com uma Seleção Brasileira recheada de jogadores não tão rodados – equipe era diferente da que disputou a final da Copa de 1998. Empolgados, os mexicanos marcaram com Zepeda, duas vezes, e Abundis, viram o Brasil diminuir com Serginho e Roni, mas logo chegaram ao quarto gol. Craque do time, o camisa 10 Cuauhtemoc Blanco recebeu na área, cortou a defesa e marcou belo gol para fechar a conta e dar o título ao México. O Brasil até diminuiu com Zé Roberto, mas nada adiantou. Assista ao gol de Blanco na voz de Galvão Bueno 👆🏽 🎥 TV Globo México 4 x 3 Brasil Copa das Confederações de 1999 4 de agosto de 1999 Estádio Azteca, Cidade do México . . . . . . #mexico #méxico #mexicocity #mex #mexico🇲🇽 #concacaf #brasil #seleçãobrasileira #seleção #selecao #copadasconfederações #copa #confederationscup #1999 #brasilxmexico #blanco #cuauhtemoc #camisa10 #futebol #football #soccer #fútbol #instadaily #instagood #instasoccer #instafootball

A post shared by Matheus Camargo (@nostalgicosfc) on

Dos 22 convocados por Luxemburgo para a Copa das Confederações de 1999, apenas quatro seguiram até a Copa do Mundo de 2002: Dida, Marcos, Vampeta e Ronaldinho. Emerson também foi convocado por Felipão, mas acabou cortado por lesão.

Leia mais:
De fuga e insegurança a destaque e titularidade: como Patrick de Paula saiu de comunidade no RJ para se tornar peça-chave no Palmeiras

As melhores notícias de esportes, direto para você