Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

NFL teve leve aumento no número de concussões em 2019

Dados foram divulgados pela própria NFL nesta sexta-feira (24). Apenar do aumento, número de 2019 foi bem menor do que o registrado em 2017

Aécio de Paula
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgação: NyGiants

De acordo com dados divulgados pela NFL, o número de concussões de jogadores na temporada de 2019 teve um leve aumento. Esse aumento é percebido quando comparado com os números da temporada de 2018. Mas há uma boa notícia. É que os números de 2019 seguem muito inferiores aos números de 2017, quando o mundo do esporte se alarmou com os dados.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!  Siga o Torcedores também no Instagram

A diminuição no número de concussões foi um desafio proposto pela própria NFL depois dos números alarmantes de 2017. De acordo com a liga, a temporada de 2019 registrou 224 concussões. Este número é um pouco maior do que o que foi registrado em 2018. Na ocasião, foram 214 casos registrados. O número, no entanto, segue bem menor do que os 281 casos registrados no ano de 2017.

Para se chegar a este número, a liga considerou casos ocorridos em treinos e jogos da pré-temporada regular. Além disso, os números logicamente consideram os casos da própria temporada regular. “Queremos ver o contato com a cabeça reduzido”, disse o Dr. Allen Sills, que é diretor médico da liga.

Concussões

A questão das concussões é um assunto complicado e polêmico na NFL. Há muito tempo, o tema é debatido em universidades e estudos científicos. “A partir de agora, estaremos dirigindo nossos esforços na redução de concussões a partir deste novo parâmetro”, disse Jeff Miler, que é vice-presidente executivo da área de saúda da NFL.

Há alguns anos, a NFL implementou mudanças para evitar o aumento no número de concussões. Para isso, mudou alguns equipamentos e alterou algumas regras. “O número do ano passado teve uma queda substancial. O número deste ano é estatisticamente semelhante. Sentimos como se tivéssemos encontrado um novo local onde precisamos continuar para diminuir ainda mais esse número”, completou Miler.

LEIA MAIS

Estudo revela que jogadores de futebol têm mais chance de morte por doenças degenerativas