Filha de atletas e surfe na veia desde pequena: quem é Tatiana Weston-Webb, esperança do Brasil nas Olimpíadas

Brasileira assegurou presença no torneio do Japão na etapa de Peniche (Portugal) do Circuito Mundial de Surfe, no ano passado

Bárbara Ribeiro
Colaboradora do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução/Twitter

Tatiana Weston-Webb nasceu no Brasil, mas foi criada no Havaí. Filha de pai inglês e mãe brasileira, possui dupla nacionalidade. Vivendo no local de altas ondas, começou já competia por lá, mas em abril de 2018 optou por defender a bandeira verde e amarela no Circuito Mundial de Surfe.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Aos 23 anos, a brasileira ocupa atualmente a sexta posição no ranking mundial feminino da World Surf League (WSL).  Na temporada anterior, Tatiana Weston- Webb superou a havaiana Coco Ho nas oitavas de final da etapa de Peniche, em Portugal no Circuito Mundial de Surfe. Com o resultado, foi a primeira represente do Brasil a conquistar uma vaga na estreia do surfe nos Jogos de Tóquio.

Tá no sangue

Filha de pais atletas, Tatiana Weston-Webb tem como inspiração seus pais. A mãe é ex-bodyboarder profissional que venceu um evento no Pipeline nos anos 90. Já o seu pai é surfista hardcore de Kauai.

Quando era jovem a atleta acompanhava o pai em Hanalei Bay no Havaí. A surfista foi considerada mais confiantes de sua categoria, e foi escolhida para ser dublê de um filme de Hollywood para interpretar a jovem Bethany Hamilton no filme Soul Surfer,

Em sua carreira, quando defendia o Havaí, venceu o Campeonato Mundial Júnior da ISA em 2013 e 2014. Depois, em 2015, Tatiana Weston-Webb conquistou o título do World Women’s Qualifying Series. Além disso, se classificou para o World Women’s Championship Tour. No mesmo ano, competiu no WCT e ganhou o Rookie of the Year.

Já em 2016, conquistou sua primeira vitória no CT no Vans US Open of Surfing e em 2017 fez finais consecutivas em Fiji e HB

No ano de 2018, subiu do 10º para o 4º lugar no Jeep Leaderboard, terminando em segundo em Bells e Uluwatu, seu melhor resultado na carreira.

Surfe nas Olimpíadas

Nas Olimpíada de Tóquio, a modalidade reunirá 40 surfistas (20 homens e 20 mulheres). Cada país pode participar com no máximo quatro surfistas, dois em cada gênero.

No torneio, o Havaí não é considerado uma nação esportiva como no surfe. Por isso, a atleta optou por defender a bandeiro do Brasil, para competir ir aos Jogos Olímpicos.

Em 2019, Tatiana Weston-Webb fez uma temporada consistente, e terminou como a número 6 do mundo. Além disso, é uma das favoritas na briga por medalha no surfe feminino.

Leia mais:

Miguel Pupo quer ser o primeiro bicampeão do Oi Hang Loose Pro Contest em Fernando de Noronha