Confira como foram os desfiles das escolas de samba de Torcida Organizada

Com enredos belíssimos, as escolas de samba deram show na avenida

Gabriella Brizotti Cesar
Colaborador do Torcedores

Crédito: Foto: Reprodução/Instagram

O carnaval chegou ao fim, e na última terça-feira foi dado o ponto final no carnaval 2020 de São Paulo. A Liga das escolas de samba da capital paulistana conheceu sua grande campeã. A Águia de Ouro levantou o caneco pela primeira vez, mas o pódio também contou com escolas conhecidas dos boleiros. A agremiações oriundas de torcidas organizadas, fizeram belíssimos desfiles e levantaram a avenida.

Dragões da Real

A escola que surgiu pela torcida organizada do São Paulo, levou para a avenida um belíssimo desfile sobre o riso. Intitulado “A revolução do riso – A arte de subverter o mundo pelo divino poder da alegria”, o desfile contou com palhaços, muitas cores, elementos divertidos e levantou o público com seu samba fácil.

A escola não apresentou falhas durante sua passagem pela avenida, mas acabou ocasionando problemas na dispersão. Seu abre-alas enroscou em fios de energia e acabou deixando boa parte do Anhembi no escuro. Com isso, os desfiles seguintes foram prejudicados por um atraso de quase uma hora.

Com essa apresentação, a Dragões da Real terminou o Carnaval 2020 em 6º colocação, com 269.5 pontos.

Mancha Verde

A Mancha, que surgiu pela torcida palmeirense, veio em busca do bi-campeonato. A escola levou para a avenida o enredo “Pai! Perdoai, eles não sabem o que fazem!” e retratou a história de Jesus Cristo. Com carros grandiosos e uma evolução quase impecável a escola ficou a apuração inteira brigando pelo título. Entretanto, a Mancha terminou em segunda colocação com 269.8 pontos.

Algo que chamou atenção, foi a festa que a torcida alviverde fez. Como em um estádio de futebol, os apoiadores levantaram bandeirões com o tema do enredo em todas as arquibancadas do Anhembi. A escola veio logo sem seguida da Dragões da Real e foi uma das prejudicadas pelo atraso dos desfiles.

Gaviões da Fiel

Uma grande expectativa foi colocada em cima da escola da torcida do Corinthians. Era a estreia do carnavalesco carioca, Paulo Barros, no carnaval de São Paulo. Grande campeão no Rio, veio até o Anhembi para inovar o estilo de se fazer carnaval. Com elementos inovadores, carros belíssimos e bastante animação, a Gaviões ergueu o público presente no sambódromo. O enredo falava sobre o amor e era intitulado “Um não sei que, que nasce não sei onde, vem não sei como e explode não sei porquê”.

Apesar de ser uma apresentação belíssima para os olhos, alguns problemas acabaram afastando a Gaviões do tão sonhado título. Fantasias com problemas, comissão de frente com falhas e uma evolução não tão boa, acabou deixando a escola alvinegra em 11º colocação, com 268.9 pontos.

Independente, Torcida Jovem e Camisa 12

Fora do grupo especial, outras escolas ligadas a futebol também abrilhantaram o carnaval paulistano. No grupo de acesso, a Independente Tricolor, oriunda do São Paulo, apresentou seu desfile, entretanto não competiu. Em outubro de 2019, um incêndio atingiu o barracão da escola e destruiu boa parte do seu material para o carnaval 2020. Já a Torcida Jovem, escola da bancada santista terminou o acesso 2 em quarta posição, com 269.7 pontos. A camisa 12, também da torcida do Corinthians, ficou com o vice, após disputa acirradíssima com a Morro da Casa Verde, e terminou o acesso 2 com 269.9 pontos.

LEIA MAIS

Carnaval: atletas e clubes já foram homenageados em sambas-enredos; confira

Torcida do Corinthians reconhece entrega e aplaude time após eliminação